USP apoia projeto internacional de estágios virtuais

Por Pedro Ferreira

 

Na quarta-feira, 19, houve a cerimônia oficial de abertura do programa EVER de estágios virtuais. O projeto é realizado pelo Instituto de Tecnologias, Inovação e Serviços (ITIS), empresa de tecnologia de Moçambique, e conta com o apoio da Universidade de São Paulo e da Ordem dos Contabilistas e Auditores de Moçambique (OCAM). O evento teve a presença de representantes das entidades participantes.

A plataforma apresentada visa oferecer qualificação profissional e a oportunidade de intercâmbios virtuais para estagiários dos países participantes. O projeto piloto teve início no dia 10 de maio e conta com 81 estudantes participantes de Moçambique, Brasil, Angola, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. Já há 50 candidatos para a segunda edição do programa.

A cerimônia teve a participação do Prof. Edgard Cornacchione, presidente do Conselho do Núcleo Technology & Business EDGE e professor da FEA. Ele exaltou a colaboração dos países de língua portuguesa e expôs o desejo de expandir a união, parabenizando os organizadores da iniciativa: “Pelas entidades envolvidas, já vemos a grandeza desse projeto, que muito me orgulha”. 

Cornacchione citou as grandes transformações tecnológicas das últimas décadas e as maiores acessibilidade e velocidade de transmissão de dados no mundo. Para ele, a área financeira tende a se desenvolver para solucionar problemas cada vez mais específicos, e toda intervenção que capacite os futuros profissionais para as expectativas do mercado é bem-vinda.

O Prof. Mário Sitoe, bastonário da OCAM, defendeu a iniciativa por proporcionar crescimento pessoal e profissional aos participantes e por ser um instrumento de integração entre as universidades e o mercado de trabalho. “[Temos o] compromisso com a capacitação da juventude, que é o profissional de amanhã”. 

Alberto Seixas, vice-presidente do Conselho Diretivo da Ordem dos Contabilistas e Peritos Contabilistas de Angola (OCPCA), afirmou que existe uma diferença entre o que a universidade ensina e o que é esperado pelo mercado de trabalho. Sendo assim, o estágio ajudaria a diminuir essa lacuna ao possibilitar o contato dos jovens com o cotidiano profissional.

Gercia Sequeira, diretora executiva do ITIS, exaltou o caráter pró-África do projeto e explicou o nome dado à plataforma EVER, que, traduzido do inglês, significa “sempre”. “Sempre trabalhar em prol de uma África mais competente, sempre trabalhar em prol de uma juventude capacitada”, afirmou.

A cerimônia teve ainda reflexões sobre a juventude, a importância do incentivo ao empreendedorismo, os novos desafios no mundo do trabalho e os benefícios que os países africanos têm com iniciativas similares ao projeto.

 

 

Data do Conteúdo: 
Segunda-feira, 24 Maio, 2021

Departamento:

Tags:

Sugira uma notícia