Sipat: funcionário em prol de melhorias

Todo ano a Semana Interna de Prevenção de Acidentes (Sipat) traz um ciclo de palestras que visa informar, prevenir acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. Durante a semana, os funcionários são liberados de suas atividades normais para participar do evento espontaneamente. A Sipat é uma grande confraternização dentro da FEAUSP, já que traz, além de informação, sorteios de brindes e coffee-breaks.

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA, responsável por organizar a Sipat, é uma comissão legalizada e obrigatória pelo Ministério do Trabalho, e sua principal função é precaver acidentes e doenças durante o ofício. Os responsáveis pela Sipat 2017 eram os atuais membros da CIPA da FEAUSP: Claudinei Castelani, Antonio Marcos de Freitas, Rômulo Fávero, Antonio Francisco Pereira de Sousa, Paulo Cesar Scandarolli, Priscila da Silva Santos Magalhães, Eduardo Custódio Leite, José Carlos Marcelo, Elaine do Rocio Graciano, Sérgio de Matos, Francisco Momédio e Edson Vanderlei.  Antonio Marcos de Freitas, funcionário da Assistência Administrativa e atual secretário da CIPA, explica que a Sipat 2017 foi a sexta realizada apenas pela unidade, pois antes a FEA fazia parte de uma Sipat coletiva, realizada em conjunto com outras unidades. “Por ser concretizada em outra unidade, as pessoas não se deslocavam para ir, até que em 2011 decidimos fazer uma sozinha”. Ele afirma que esse já era um desejo antigo da Comissão. “Nossos acidentes, nossos problemas, são diferentes; nada mais natural que termos uma Sipat própria, para algo que atenda mais às nossas demandas”.

Sobre os temas abordados durante a Semana, Marcos afirma que, para além de segurança e saúde, a Sipat da FEA procura inovar. “Nos últimos 3 anos nós trouxemos também temas relacionados à economia, mudanças que atingem diretamente os trabalhadores como INSS, aposentadoria, questão trabalhista, economia do país e também dentro da universidade”. Ele ainda comenta que o evento conta com cada vez mais apoio dos professores, resultando em um conteúdo de maior qualidade. “Nós nunca imaginaríamos que um ex-reitor, como o professor Jacques Marcovitch, palestraria no nosso evento, como aconteceu ano passado”.

O sorteio de brindes é uma parte tradicional do evento. Claudinei Castelani, chefe da área de Zeladoria e Vigilância e atual presidente da CIPA, comenta que o professor Adalberto Fischmann, diretor da Faculdade, há anos ajuda a Comissão na arrecadação: “O professor intermedia a Sipat e a CIPA junto a algumas fundações, para conseguirmos verba. Além disso, fazemos um rateio com professores e funcionários para arrecadação de fundos, e o professor Adalberto é primeiro a assinar a lista e doar”.

Para a Sipat 2017, Claudinei explica que o tema escolhido foi “Nós pensamos em você”, e todas as palestras seguiram esse caminho. Na segunda-feira, abrindo a Semana, foi apresentado o tema “A importância da saúde emocional”, com os psicólogos  Celina Seixas, Bárbara Sebastião e Felipe Maronesi. Na terça, houve duas palestras, sobre saúde na alimentação, com a nutricionista Ana Paula Lima, e cromoterapia na saúde, com Ivan Francisco de Souza, funcionário da FEAUSP. Na quarta-feira ocorreu uma das palestras mais aguardadas, “A ética que atrapalha”, com professor emérito e ex-diretor da FEAUSP, Eliseu Martins. Na quinta-feira se discutiu um tema atual e de interesse dos funcionários, “O desafio do financiamento das universidades estaduais paulistas”, com o professor do departamento de Economia e também presidente da Fipe - Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Carlos Antonio Luque. Para encerrar a Sipat, na sexta-feira, a FEA recebeu o professor Guilherme Veiga Guimarães, que falou sobre “Sedentarismo”.

Claudinei afirma que o evento se deve muito a todos os parceiros, e cita o restaurante Sweden, que há anos fornece um coffee de alta qualidade. Ele ressaltou que um desejo para o futuro é ter atividades todos os dias no espaço da Sipat, como a que houve este ano, em que enfermeiros estavam disponíveis na terça para conversar com as pessoas e tirar dúvidas sobre problemas relatados.

Apesar do sucesso, Claudinei afirma que o maior desafio da Sipat é a adesão do público. “Mesmo crescente, ainda está longe da realidade que gostaríamos, pela quantidade de pessoas que trabalham na FEA. E essa é a meta para se melhorar no futuro”, conclui.


Gente da FEA - dezembro de 2017
Autora: Ingrid Luisa

 

Data do Conteúdo: 
Quarta-feira, 6 Dezembro, 2017

Departamento:

Sugira uma notícia