Richard Thaler, Nobel de Economia 2017

Os seres humanos detestam perdas 2,5 vezes mais do que gostam dos ganhos equivalentes. Ao avaliar riscos, pensamos nos exemplos concretos que mais rapidamente vêm a nossa mente, como uma queda de avião ocorrida na véspera. Nas nossas decisões diárias adotamos regras de bolso, ou seja, atalhos mentais sugeridos por nosso sistema automático. Orçamentos domésticos são definidos por sistemas de contabilidade mental, que separam o montante total disponível de recursos em categorias estanques. Estas são apenas algumas das descobertas da jovem economia comportamental, que este ano foi homenageada com a concessão do prêmio Nobel de Economia a Richard Thaler, professor da Universidade de Chicago.

O caráter vanguardista desse programa de pesquisa já havia caído nas boas graças da academia sueca, seja em reconhecimento à sua importância teórica, seja por sua maneira inovadora de tratar a evidência empírica. Da lista de agraciados com o Nobel constam precursores da área, como Herbert Simon (1978) e Amartya Sen (1998), bem como autores mais recentes, como Daniel Kahneman (2002), Vernon Smith (2002) e Robert Shiller (2013), este último pioneiro na área de finanças comportamentais. 

O primeiro best-seller de Richard Thaler é o livro “Nudge", escrito em coautoria com Cass Sunstein. O foco do livro recai sobre a arquitetura de escolha, que designa o contexto em que as decisões humanas são tomadas. No espírito do paternalismo libertário, Sustein e Thaler defendem que é legítimo moldar, introduzir pequenos estímulos (os nudges) nesse contexto. Sem constranger a liberdade de escolha individual, os nudges partem de uma preocupação prescritiva, pois seu objetivo é levar os humanos a fazer escolhas melhores, mais saudáveis e socialmente mais adequadas.

Uma faceta interessante da economia comportamental, que a distingue do conjunto, é a ênfase dada à dimensão aplicada de suas descobertas teóricas, em geral sustentadas por resultados experimentais. Assim, aplicações são detalhadas no livro que Thaler lançou em 2015, “Misbehaving”, que na edição brasileira recebeu o título de “Comportamento Inadequado”. No livro, o autor revê o processo recente de desenvolvimento da economia comportamental e elabora alguns de seus principais conceitos (efeito dotação, contabilidade mental, problemas de autocontrole, efeito manada, entre outros). Paralelamente, o livro apresenta aplicações desses conceitos a políticas públicas implementadas sob inspiração da economia comportamental. Entre várias outras, destaca-se o programa de aposentadoria “Save More Tomorrow”, de cuja elaboração Thaler participou ativamente, e que tem tido um impacto positivo sobre a capacidade que os trabalhadores demonstram de provisionar recursos previdenciários. Outra contribuição interessante do livro é a parte que discute a absorção da economia comportamental pelo mainstream da Economia, processo que o autor considera estar em andamento. Por isso e muito mais, Thaler se fez merecedor do Nobel.

Ana Maria Afonso Ferreira Bianchi
Profa. Sênior do Departamento de Economia da FEAUSP
 

Data do Conteúdo: 
quarta-feira, 6 Dezembro, 2017

Departamento:

Sugira uma notícia