História das empresas no Brasil é explorada em coletânea

 

Por Pedro Ferreira

 

Uma live marcou o lançamento do livro “História de Empresas no Brasil”, das editoras Hucitec & EDUFF e que faz parte da coleção Novos Estudos de História Econômica do Brasil. A transmissão ocorreu pelo canal no YouTube da Associação Brasileira de Pesquisadores em História Econômica (ABPHE). Estavam presentes os organizadores da obra Prof. Alcides Goularti Filho, da UNESC, e Prof. Alexandre Macchione Saes, da FEAUSP, além da mediadora Prof. Teresa Cristina de Novaes Marques, da UnB.

 

O livro conta com textos de 16 autores nacionais que exploram as novas tendências historiográficas da pesquisa econômica no Brasil durante as últimas décadas. A coletânea de textos é dividida em duas partes: a primeira dedicada à história de empresas como área de pesquisa e a segunda aos estudos regionais.

 

A obra “História de Empresas e Desenvolvimento Econômico”, organizada pelos economistas Tamás Szmrecsányi e Ricardo Maranhão, serviu como ponto de partida para o livro. Saes apontou a concentração de autores estrangeiros na produção, em virtude do campo de estudos ainda ser recente no Brasil da época.

 

O professor também comentou os textos presentes na coletânea, estabelecendo suas relações com teorias internacionais, como a business groups, abordada no texto “A teoria business groups revisitada: uma perspectiva a partir de eixos estruturantes”, de Armando Costa e Angelo Zanela.

 

Para Saes, o livro não engloba toda a temática, pelo contrário, abre mais possibilidades de novas pesquisas na área. “[O livro] oferece a reflexão sobre a possibilidade dos nossos pesquisadores entenderem o que tem sido feito lá fora e tentarem dialogar com essas perspectivas teóricas”, afirmou.

 

Goularti foi responsável pela segunda parte do livro, dedicada aos estudos regionais das empresas brasileiras. Ele comentou os temas de cada contribuição, como o capital inglês amplamente investido durante o século XIX, presente nos textos de Fábio Carlos da Silva e José Alex Rego Soares. “Temos [analisadas] desde empresas com atuação regional até estatais, nacionais e internacionalizadas, empresas que ainda estão na ativa e as que já desapareceram; é um leque bem diversificado”, afirmou.

 

 

 

Data do Conteúdo: 
Terça-feira, 25 Maio, 2021

Departamento:

Sugira uma notícia