FEA faz parceria e cria escola de negócios para jovens negros

Por Cacilda Luna

 

A Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP (FEAUSP) firmou uma parceria com a Universidade Zumbi dos Palmares (Unipalmares) para a criação de uma escola de negócios e empreendedorismo para jovens negros e lançamento do Centro de Estudos e Pesquisas em Economia, Gestão, Negócios e Diversidade Racial Empresarial. As duas instituições assinaram no dia 7 de julho o termo de cooperação acadêmica. A parceria foi anunciada durante evento ao vivo, transmitido pela TV Zumbi, por meio do YouTube. Segundo o acordo, serão ofertados cursos técnicos, de graduação e de pós-graduação. Inicialmente, serão oferecidas ao menos 100 vagas para estudantes negros nos cursos técnicos.

 

O evento foi aberto pelo reitor da Unipalmares, José Vicente. Segundo ele, os jovens negros “que saem dos bancos escolares já estão se constituindo como uma nova classe média intelectual negra do país, que não poderia correr o risco novamente de ficar de lado, de não ter uma ponte de comunicação para que pudessem ser incluídos de uma forma igualitária para dentro das oportunidades de toda a sociedade”.

 

José Vicente disse que os cursos técnicos deverão ser desenvolvidos pelas duas universidades, com a expectativa de início das capacitações num prazo de 60 dias. Em relação aos cursos de graduação e pós-graduação, não há data prevista para o lançamento.

 

A FEAUSP e a Unipalmares anunciaram que irão disponibilizar professores, espaço fisico e equipamentos. O reitor José Vicente ressaltou que a parceria vem ao encontro de duas necessidades: "a formação de um quadro de profissionais para o mercado de trabalho, e pesquisas para entender quem são o consumidor e o comprador negro, se eles têm características específicas, quais as particularidades”.

 

O chefe do departamento de Administração da FEAUSP, Moacir de Miranda Oliveira Júnior, disse que essa parceria é uma oportunidade histórica de aproximar a maior universidade de pesquisa da América Latina da universidade que mais representa a causa da inclusão racial no Brasil. “É uma parceria promissora e potencialmente transformadora. Nós estamos muito preocupados na USP com essa dimensão. Esse foi o primeiro ano que tivemos mais de 50% de alunos originários de escola pública e 44,7% autodeclarados negros, pardos ou indígenas. É um ano histórico para a Universidade de São Paulo”.

 

Moacir de Miranda ressaltou ainda a importância da inclusão do negro no mundo dos negócios. “A gente quer fomentar a inclusão, mas também o empreendedorismo. Queremos ver empresas lideradas por negros no país. Eu vejo uma avenida enorme de oportunidades”. A coordenadora do Centro de Empreendedorismo Social da USP, professora Graziella Comini, destacou que a diversidade traz ganhos econômicos para as empresas, pois são mais competitivas e têm um olhar diferenciado. "Existe pouca participação de negros nas empresas. Então, é uma batalha enorme”. O evento teve a participaçao ainda do diretor da FEAUSP Fábio Frezatti e da professora Ana Carolina Rodrigues, do departamento de Administração da FEA.

 

 

Data do Conteúdo: 
Segunda-feira, 12 Julho, 2021

Departamento:

Sugira uma notícia