FEA aos 75 anos: um brilhante!

 

As pessoas valorizam a longevidade. Principalmente quando ela é acompanhada por histórias de sucesso, como acontece com a FEA. A longevidade indica experiência e força para superar dificuldades que se apresentam de forma constante, com diferentes intensidades na vida das pessoas. Num país como o Brasil, sobreviver a diferentes momentos e suas respectivas características não é trivial, e o conjunto de contribuições e de experiências armazenadas correspondem a ativos muito críticos para o sucesso futuro. Em termos de presente e futuro, mais do que se adaptar e colaborar de forma protagonista para as mudanças, devemos nos preocupar com as transformações mesmo. Desafio enorme!

 

Ao pensar na instituição, fica a vontade de trazer um paralelo com a vida e naturalmente a pergunta: ao que comparar os 75 anos? A tradição busca na longevidade dos casamentos uma lógica em que cada ano percorrido teria semelhança com algo e 75 anos indicam o brilhante como a relação indicada. Alguém que permanece casado após 75 anos comemora a trajetória comparando-a a um brilhante! O que significa isso? O brilhante é um produto elaborado do diamante, o material com a maior dureza que conhecemos. Essa é uma propriedade fundamental para enfrentar as dificuldades ao longo do tempo. O que torna o brilhante especial é que ele é trabalhado, aperfeiçoado e, além da dureza, tem a beleza multifacetada nos vários ângulos. A luz permite perceber toda a beleza, que pode ser observada por diversos ângulos e de várias formas.

 

Em 2021 a Faculdade comemora 75 anos de existência e vamos comemorar durante todo o ano com várias ações. Se verificarmos os jornais da época do nascedouro da FEA, o ambiente internacional de um pós-guerra ainda em construção dominava o cenário e as questões brasileiras apareciam de maneira tímida, muito ao reboque do mundo externo. Os anos foram passando e vivenciamos muitas coisas diferentes, absolutamente diferentes e surpreendentes, onde ainda há o que evoluir para uma identidade ainda mais robusta. Países que não existiam surgiram e outros desapareceram, artefatos extremamente úteis deixaram de ter função e atividades humanas passaram por mudanças enormes. Visões de mundo foram se alternando e alterando a vida das pessoas. Grandes progressos científicos e tecnológicos, recuos inesperados, mudanças em partes enormes da população mundial e continuidade de desigualdade e miséria em outros. A vida não deixou de trazer as contradições e novos desafios.

 

Passamos por mudanças em termos políticos, econômicos e sociais simplesmente radicais nesses 75 anos. A tecnologia trouxe impactos enormes e inimagináveis para a sociedade. Gerações se sucederam em ambientes diferentes, trazendo influências das mais variadas sobre a vida propriamente dita. A FEA convive com a sociedade em dimensões nem sempre claras onde a face mais visível é o ensino. Queremos que ele seja de qualidade, num ambiente que a oferta pública de vagas, cada vez mais é um instrumento de inclusão e integração social. Acolhimento e inclusão são palavras caras ao público FEAno. Nossas pesquisas são pluralistas sob qualquer ponto de vista e são um sucesso que afeta o ensino tanto na graduação como no pós. Rankings e classificações têm reconhecido parcialmente os nossos destaques num ambiente altamente competitivo. Entretanto continuamos enfrentando ataques de várias origens contra as instituições públicas em geral e, na pandemia, foi possível mostrar várias facetas da contribuição da instituição para a sociedade. Por sua vez, as atividades de cultura e extensão vêm tomando ao longo do tempo proporções cada vez maiores de contribuições para a sociedade como integração, dentro de uma dinâmica própria, com as atividades de pesquisa e ensino.

 

Falar do ensino, pesquisa e cultura/extensão, os chamados pilares da Universidade, é importante pelo pioneirismo desses pilares no ambiente nacional. A influência da FEA em todas as dimensões dos pilares é percebida nos mais variados rincões do país, onde encontramos profissionais que passaram pela FEA. As contribuições nas áreas de economia, administração, contabilidade e atuária mostram que o investimento feito pela sociedade paulista teve e tem benefícios muito mais amplos do que se poderia sonhar 75 anos atrás. Olhando pela trajetória das pessoas que passaram pela Faculdade, temos destaques nas mais variadas dimensões, seja, em entidades governamentais, na iniciativa privada ou mesmo nas entidades sem finalidades lucrativas.

 

O dimensionamento da internacionalização das atividades encontra na FEA um campo para uma visão cada vez mais cosmopolita de entender o mundo de hoje e de amanhã e as realizações do passado muito contribuem para ter pontos de partida viáveis e sustentáveis em parceria com vários centros educacionais do mundo.

 

Avançamos muito em todas as dimensões das arestas do diamante, mas o espirito crítico que permeia a Faculdade não permite a sensação de “ponto de satisfação”, e esse é um fator fundamental para que a continuidade da FEA seja promissora e com alto compromisso com a sociedade.

 

Para a sociedade paulista, a Universidade de São Paulo em termos gerais, e a FEA em particular, representaram, representam e representarão uma âncora para o desenvolvimento, para o crescimento e mesmo para uma base de sustentação do ensino, pesquisa e extensão. Não é pouco num país que demanda para ontem uma série de coisas essenciais para o seu desenvolvimento e mesmo subsistência.

 

Recursos tangíveis são importantes e não devem ser descuidados, mas uma faculdade como a nossa está calcada basicamente no potencial dos professores, servidores e alunos. Em dimensões temporais, esse sempre foi o segredo do potencial de resposta. É um privilégio para qualquer pessoa conviver nesse ambiente de alto potencial e muita ebulição. É uma garantia de permanecer vivo intelectualmente e poder crescer.

 

Ao longo dos 75 anos vários ciclos foram percorridos e a tentação de ter uma linha do tempo é enorme, mas isso deixaremos para os nossos pesquisadores que vão se debruçar e contar a história da FEA a partir de onde paramos de contar algum tempo atrás. Aguardem essa contribuição que vai trazer muitos detalhes sobre a trajetória da instituição e dos FEAnos, junto com outras atividades ao longo do ano comemorativo dos 75 anos. De efetivo temos dois momentos inegáveis: o nascimento na Vila Nova e o momento vivido hoje. O passado é lembrado com carinho por aqueles com os quais ainda temos a oportunidade de conviver. Uma mistura de irreverência com oportunidade criativa. Um pouco de inveja e reconhecimento pelo discernimento e capacidade. Alguém que vivesse no período de criação da FEA não poderia imaginar o que ela seria hoje.

 

Por outro lado, o momento atual é de tal forma aberto que as oportunidades podem aumentar o pluralismo e mesmo a inclusão. Aparentemente os futurólogos estão em crise, pois se torna muito difícil prospectar e ter direção crível do nosso futuro. O desafio é proporcionar elementos de oportunidade de convivência para diferentes matizes. Aprendemos que o futuro, atrás das perspectivas dos pilares da faculdade, ou seja, o ensino, a pesquisa e a cultura e extensão, nos pressionam a repensar a vida, em tudo o que ela se refere e, para isso, o olhar deve ser o de trazer a comunidade para dentro da FEA e levar a FEA para dentro da comunidade, seja qual for a extensão possível no curto, médio e longo prazos.

 

Grandes desafios são encarados por quem tem força para ser protagonista e a FEA enfrenta e vai continuar enfrentando desafios tecnológicos, sociais, políticos e não vai se furtar a contribuir para os benefícios à sociedade em que se insere.

 

Durante essa jornada a sociedade contribui com os recursos de sustentação provenientes do ICMS. A retribuição foi e será a gestão com compromisso e dedicação. Por outro lado, a sociedade brasileira, e não apenas paulista, confiou seus filhos para que tivessem ambiente de desenvolvimento. Acreditamos que correspondemos à confiança depositada.

 

Definitivamente a FEA é um brilhante pela resistência às dificuldades, sua força, e pela capacidade de se reinventar num ambiente complexo. Junto com o orgulho pelos 75 anos, temos a responsabilidade de entregar para as gerações futuras a nossa contribuição para um mundo melhor e entendemos a FEA como um brilhante que pode ser ainda mais aperfeiçoado preparando-a para os desafios futuros.

 

Parabéns FEA instituição e FEAnos de formação e de coração.

Vida longa FEA!

 

Fábio Frezatti, diretor da FEAUSP

José Afonso Mazzon, vice-diretor da FEAUSP

 

 

Data do Conteúdo: 
Quarta-feira, 12 Maio, 2021

Departamento:

Sugira uma notícia