Doutorado - Estudos sobre o valor dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento e a dicotomia entre empresas de alta e baixa tecnologia

Tipo de evento: 
Defesa
Data e hora: 
04/11/2021 - 14:00 até 17:00

Andre Ricardo Reis Costa

Doutorado - Estudos sobre o valor dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento e a dicotomia entre empresas de alta e baixa tecnologia

Orientador:  Prof. Dr. Eduardo Kazuo Kayo

Comissão: Profs. Drs. Roy Martelanc, Wilson Toshiro Nakamura e Eduardo Ottoboni Brunaldi 

Transmissão: https://youtu.be/Gw2RZOoDtEA

Resumo*

A presente tese é composta por três artigos, um teórico e dois empíricos, e tem como objetivo geral analisar a relevância dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento, ou P&D, para a geração de valor pelas firmas norte-americanas e o cenário atual da dicotomia empresas de alta e baixa tecnologia quanto ao perfil financeiro. Trabalhos recentes apontaram acentuado acréscimo dos investimentos em P&D nas empresas norte-americanas, elevando a intangibilidade dos ativos, e com potenciais consequências às demais decisões financeiras, como de liquidez. Diante disso, o primeiro capítulo analisa o conjunto de incentivos subjacente ao aumento dos investimentos em P&D. Contribuições da literatura em inovação foram organizadas conforme os três cenários da função de geração de valor pelas decisões de investimentos, que são compra, venda e inação, e permitiram apontar, usando proposições, evidências de facilitadores para a geração de valor por P&D. Por exemplo, a queda dos preços dos insumos pode incentivar empresas de setores de baixa tecnologia a engajarem em projetos de P&D, levando-as a acumular mais caixa para proteger o estoque de conhecimento recém-adquirido sem frustrar o pagamento das obrigações, tornando-se semelhante às empresas dos setores frequentemente nomeados como de alta tecnologia. O segundo artigo analisou a relação entre os investimentos em P&D efetuados ao longo de 2019 e os retornos anormais ocorridos em torno do choque da pandemia Covid-19. A ocorrência do choque é útil para examinar a habilidade dos investidores em agir conforme as informações disponíveis e a relação entre a variável independente de interesse e a variável dependente com menor viés de endogeneidade, que ocorre se o administrador consegue manipular a variável dependente por meio da variável independente de interesse. Os resultados das regressões diff-in-diff apontaram que a relação positiva entre retornos anormais e gastos com P&D persistiu diante do choque. Usando o choque para regressões triple-diff, as empresas de alta tecnologia registraram vantagem para ofertar retornos em comparação às empresas de baixa tecnologia, sugerindo persistência da dicotomia empresas de alta e baixa tecnologia. O terceiro artigo repetiu o uso do choque da Covid-19 em regressões diff-in-diff e triple-diff. Dessa vez, para analisar a relação entre liquidez de curto prazo e retornos anormais, e a relevância da liquidez para a relação entre retornos anormais e gastos com P&D conforme a dicotomia empresas de alta tecnologia versus baixa tecnologia. Identificou-se equilíbrio entre custos e benefícios pelo acúmulo de liquidez, pela relação em forma de “U” invertido entre retornos anormais e a proporção de caixa diante dos ativos totais. Novamente, diante do choque o caixa foi mais relevante para as empresas de alta tecnologia gerarem retornos por projetos de P&D que para as empresas de baixa tecnologia, em mais um indício de persistência da dicotomia.

*Resumo fornecido pelo autor

Departamento:

Voltar para a página de eventos