Ariovaldo dos Santos assume o EAC

Desde agosto passado, o Departamento de Contabilidade e Atuária da FEAUSP passou a ser comandado pelo professor Ariovaldo dos Santos. Especialista em contabilidade societária, contabilidade para usuários externos, Demonstração do Valor Adicionado (DVA), inflação e balanço em moeda estrangeira, o novo chefe do EAC iniciou sua carreira docente na USP há 30 anos e, em julho de 2005, tornou-se titular. É diretor presidente do Ipecafi (Instituto de Pesquisas Contábeis Atuariais e Financeiras), coordenador técnico da revista Melhores e Maiores desde 1996, e consultor  ad hoc da revista Contabilidade & Finanças. 

O início de sua gestão à frente do EAC coincidiu, praticamente, com a aprovação do novo regimento do Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, publicado no Diário Oficial em 9 de dezembro de 2016. O novo regimento, de acordo com Ariovaldo, restaurou algumas iniciativas que tinham sido modificadas havia cerca de 3 anos. Algumas disciplinas obrigatórias voltaram e o ensino da contabilidade retomou o foco, já que estava privilegiando a internacionalização. “Lá fora, eles têm um tipo de preocupação e nós, aqui, outro”, justificou. 

Ariovaldo dos Santos explica que o processo de internacionalização não se resume apenas ao intercâmbio de alunos e professores. Existe também a questão das publicações externas, que estariam valorizando muito mais os métodos quantitativos, indo na contramão do que o departamento de Contabilidade e Atuária da FEA construiu nos últimos 40 anos. 

Para o novo chefe do EAC, apesar dos periódicos estrangeiros exigirem isso, o departamento de Contabilidade não quer “perder a origem”. Não que o processo de internacionalização não vá continuar, deixa claro Ariovaldo dos Santos, mas “não podemos trocar nosso prestígio interno, no Brasil, por um prestígio externo, até porque na minha concepção esse prestígio externo está longe de ser alcançado. Nunca vamos ser expoentes em métodos quantitativos. Não podemos trocar uma coisa pela outra, o que podemos é adicionar”.  

Uma das iniciativas que deram certo e foram preservadas, completa o contabilista, foram os exames de requalificação no mestrado e no doutorado, que passaram de um para dois, antes da defesa final da tese. “É uma modificação que contribui positivamente, porque temos visto resultados muito expressivos de mudanças de foco nas dissertações ou teses”. 

Em relação à graduação, Ariovaldo dos Santos anunciou uma parceria com o IME-USP (Instituto de Matemática a Estatística) com o objetivo de oferecer aos alunos da FEA disciplinas na área de Matemática Aplicada. “São disciplinas que a gente precisava e não tinha”. Em troca, os alunos do IME terão disciplinas específicas de atuária. Já o projeto Discovery continua a todo vapor, com o oferecimento de cinco disciplinas em inglês na graduação. 

Gente da FEA - fevereiro de 2017
Autora: Cacilda Luna

Data do Conteúdo: 
Tuesday, 24 January, 2017

Departamento: