FEA comemora seus 70 anos


As comemorações dos 70 anos da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP foram encerradas com um grande evento, no dia 25 de novembro, no Centro de Difusão Internacional da USP. Professores, ex-professores, alunos, ex-alunos, funcionários e convidados participaram de um coquetel e assistiram ao concerto da OSUSP – Orquestra Sinfônica da USP. Durante o evento, houve também apresentação de um vídeo comemorativo e a entrega de homenagens aos patrocinadores (BM&F Bovespa, Banco Safra, Deloitte e PWC Brasil).  

“Neste ano comemorativo, fizemos a reflexão sobre nossa história, nossas tradições, nossos valores e nossa proposta para repensar o Brasil. Passado, presente e futuro se uniram para formar nossa identidade e nosso destino. Hoje, estamos realizando mais uma ação deste calendário”, disse o diretor da FEA, Adalberto Fischmann, durante seu pronunciamento, no qual relembrou todas as ações realizadas durante o ano de 2016. 

“Para marcar todos esses anos de história e contribuições foi organizado um calendário para enaltecer sua trajetória como instituição desafiadora, enriquecedora e inspiradora. Foram idealizadas 7 ações  - uma para cada década - que fortalecem a identidade da FEA e aumentam o seu reconhecimento ao promover uma agenda para o futuro e mostrar como a FEA está integrada ao desenvolvimento do país como centro de excelência, mantendo a sua tradição”, ressaltou Fischmann. 

As ações comemorativas incluíram um site com a história da Faculdade e suas contribuições à ciência e às políticas públicas; o ciclo de palestras “Repensar o Brasil”, no qual especialistas debateram grandes temas nacionais da atualidade; a atualização da base de dados dos 28 mil alumni da FEA; a sessão solene de entrega de título de professor emérito a Jacques Marcovitch e Denisard Cneio de Oliveira Alves;  a inauguração do Mural dos Professores, com fotos de mais de 600 docentes; a edição histórica do Gente da FEA; e a solenidade dos 70 anos.  

...................................

Na solenidade dos 70 anos da FEA, os três chefes de Departamento fizeram um discurso de saudação à Faculdade. Hélio Nogueira da Cruz, de Economia, lembrou os primórdios da FEA, quando a instituição ainda tinha outro nome e ficava localizada na rua Doutor Vila Nova. “Tivemos na origem uma influência muito forte da Faculdade de Filosofia. Eram professores europeus que traziam sua vertente teórica. Mas lá pelos anos 60, no momento em que houve a intervenção da USP, a figura do professor Delfim Netto foi muito importante. Caminhamos na direção do que eu chamo de mainstream em economia, uma tendência internacional mais norte-americana”. 

Apesar disso, Hélio Nogueira disse que a FEA sempre manteve um caráter plural.  “Se a economia tinha uma divisão entre os ortodoxos e os keynesianos, isso se repetia aqui”, lembrou. Segundo o chefe do EAE, o prestígio da Faculdade mantém-se grande até hoje. “Muitos de nossos representantes na sociedade influíram na política econômica do país. Tivemos uma postura forte no debate nacional”. Mais tarde, acrescentou o economista, a FEA foi “caminhando aos poucos de uma direção mais imediata de resolver os problemas nacionais para tornar-se uma unidade verdadeiramente acadêmica”. 

O professor Hélio Nogueira da Cruz também enalteceu a missão do departamento de Economia. Além de promover e desenvolver o conhecimento na área, seu objetivo é “formar cidadãos capazes de pensar os problemas econômicos de maneira integral e atuar como profissionais de alta qualidade e éticos para prestar serviços de extensão e curadoria indissociáveis ao ensino e à pesquisa, colaborando assim para o desenvolvimento da sociedade brasileira”. 

Administração
Criado há 57 anos, o departamento de Administração tem sua origem ligada a dois nomes legendários: Ruy Aguiar da Silva Leme e Sérgio Baptista Zaccarelli. Em seu discurso, o chefe do EAD, professor Roberto Sbragia, lembrou que eles criaram, junto com outros professores da FGV e da Michigan State University, as bases do futuro curso de Administração no Brasil, liderando sua trajetória de “crescimento e inovação” ao longo das décadas de 70 e 80. 

“Crescimento, porque chegamos a marca de quase 80 professores, 70 na ativa e 10 seniores, e com isso podemos hoje ser comparados em termos de tamanho e excelência às escolas de negócios típicas encontradas nos EUA, Europa e na Ásia. Inovação, porque temos uma trajetória totalmente dedicada à contribuição  para o avanço do conhecimento, bem como para o estabelecimento de políticas públicas e criação de instituições”, ressaltou Sbragia. 

O professor Roberto Sbragia destacou que o EAD possui três periódicos de grande prestígio na comunidade científica nacional e internacional – Rausp, Rege e RAI – todos ranqueados dentro dos primeiros níveis da Capes. Além disso, o departamento contribuiu de forma significativa, ao longo de sua história, para a geração de conhecimentos teóricos e inovadores, que foram materializados em centenas de trabalhos submetidos ao crivo de publicação dos mais importantes periódicos da Administração. 

Contabilidade e Atuária
O chefe do departamento de Contabilidade e Atuária, Ariovaldo dos Santos, fez um balanço da história do EAC. Disse que já foram formados pela FEA cerca de 6 mil bacharéis em contabilidade e 200 atuários. Segundo ele, o ensino de contabilidade no Brasil também passou por uma verdadeira transformação a partir dos anos 1970, graças ao livro “Contabilidade Introdutória”, de autoria de um grupo de professores da Faculdade. 
“Até hoje, foram vendidos 752 mil exemplares em suas diversas edições. A escolha do modelo anglo-saxônico em substituição ao modelo de contabilidade italiano influenciou bastante toda a contabilidade no Brasil. Demos aí uma demonstração de ousadia e coragem”, refletiu. De acordo com Ariovaldo dos Santos, foi dentro do departamento que surgiu a ideia de criação da Fipecafi, em 1974, sendo a fundação até hoje a principal parceira do EAC. 

Outra obra importante originada na FEA foi o Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações. Até hoje foram vendidos 347 mil exemplares. “Em 1978 veio a grande consolidação. Após a aprovação da Lei das Sociedades por Ações, foram os professores do EAC que desvendaram aquilo que naquela época era muito pouco conhecido dos profissionais e estudiosos de contabilidade. Ninguém ouvira falar, até então, de equivalência patrimonial, consolidação de balanço, demonstrações de origens e aplicações e recursos etc”.

Ariovaldo dos Santos também disse que a participação dos professores da FEA tem sido marcada por importantes contribuições em instituições como o Banco Central, Comissão de Valores Mobiliários, Conselho Federal de Contabilidade, Comitê de Pronunciamentos Contábeis e outros órgãos. 

 

Gente da FEA - Fevereiro 2017

Autora: Cacilda Luna

Data do Conteúdo: 
Tuesday, 24 January, 2017

Departamento: