Doutorado - Influência do isomorfismo institucional na adoção do balanced scorecard pelas organizações pertencentes ao polo industrial de Manaus

Tipo de evento: 
Defesa
Data e hora: 
19/11/2021 - 09:30 até 12:30

 

Nilson José de Oliveira Junior

Doutorado - Influência do isomorfismo institucional na adoção do balanced scorecard pelas organizações pertencentes ao polo industrial de Manaus

Orientador: Prof. Dr. Flávio Hourneaux Junior

Comissão: Profs. Drs. Júlio Araújo Carneiro da Cunha, Marcelo Luiz Dias da Silva Gabriel e Paulo César Diniz de Araújo

Transmissão: https://youtu.be/AGEb__HDk1g

Resumo*

O Balanced Scorecard (BSC) é hoje uma das ferramentas de gestão mais utilizadas nas organizações. O modelo, originalmente proposto como um sistema gerencial de mensuração de desempenho, evoluiu para ser utilizado como um sistema de gestão estratégica, que tem a capacidade de promover o alinhamento de todos os níveis e áreas da empresa. O grau de maturidade na adoção do BSC pode ser avaliado com base no desenvolvimento do uso da ferramenta, onde o Nível I indica o momento inicial, evoluindo para os Níveis II e III.  A Teoria Institucional aborda como as organizações adotam práticas homogêneas às vigentes em seu ambiente na busca da legitimidade. Dentro da Teoria Institucional, o isomorfismo explica como ocorre a legitimação dessas práticas, por meio de pressões ambientais caracterizadas como isomorfismo: mimético, coercitivo e normativo. O Polo Industrial de Manaus (PIM), criado com base em uma política tributária diferente da do restante do Brasil, gerou em 2019 um faturamento de R$ 104,72 bilhões, empregando 500 mil pessoas, sendo um forte vetor no desenvolvimento de tecnologias para o Estado do Amazonas. Na literatura vigente, identifica-se um pequeno número de pesquisas realizadas sobre a utilização do BSC e da Teoria Institucional em países considerados em desenvolvimento, como o Brasil. Diante desse contexto, a pergunta de pesquisa foi definida como: “Qual a relação entre o ambiente organizacional e a adoção do Balanced Scorecard pelas organizações?”. O objetivo é analisar a influência do isomorfismo institucional na adoção do Balanced Scorecard nas empresas do PIM. Como prova de que o modelo do PIM é capaz de criar um ambiente diferenciado, note-se que o setor industrial no Estado do Amazonas representa 34,2% do Produto Interno Bruto (PIB), a maior participação proporcional em comparação aos outros Estados do Brasil. A presente pesquisa é uma survey, tendo com população as 461 empresas presentes no PIM e uma amostra de 77 respostas ao questionário enviado por e-mail. Foi utilizada uma abordagem quantitativa na elaboração dos resultados e análise dos dados, por meio de técnicas como estatística descritiva, correlação de Spearman e teste de Kruskal-Wallis. Os resultados confirmaram a influência do isomorfismo institucional na adoção do BSC nas empresas do PIM, destacando-se como principais motivadores dessa influência: busca de redução das incertezas diante da tomada de decisão, interação com stakeholders, uso do benchmarking, pressões governamentais, formações de parcerias e atuação das entidades associativas. As conclusões da pesquisa demonstram os motivos da influência do isomorfismo na decisão dos gestores quando da adoção do BSC como ferramenta de gestão estratégica e apontam contribuições como a replicação e comparação de métodos de pesquisa em um ambiente pouco explorado por estudos científicos, caso do PIM. Além disso, trazem uma melhor compreensão sobre como a Teoria Institucional pode ser utilizada como ferramenta que auxilia o entendimento da mudança organizacional e sobre o contexto social em que se encontram as empresas do PIM.

*Resumo fornecido pelo autor

Departamento:

Voltar para a página de eventos