Seminário “Governança Universitária em Tempos de Crise” marcará o lançamento de livro dia 4 de maio

Capa_livroSeminário “Governança Universitária em Tempos de Crise” e Lançamento do livro “Universidade em Movimento: Memória de uma Crise”

Dia 4 de maio, das 11h às 13h, na sala da Congregação, FEA-1

Realização: Diretoria da FEA, em conjunto com a FAPESP e a Editora Com-Arte.

Participantes: Adalberto Fischmann, Alexandre Sassaki, Carlos Antônio Luque, Carlos Henrique de Britto Cruz, Jacques Marcovitch, José Goldemberg, , Luiz Nunes, Nina Ranieri, Sergio Adorno e Vahan Agopyan.

Sobre o livro

A governança universitária é uma responsabilidade que não pertence apenas aos mandatários de momento. Ela vem de longe, desde o primeiro reitor e desde os primeiros pró-reitores, diretores de unidades ou chefes de departamentos. Este processo cumulativo, repleto de lições, não tem limites no tempo dos mandatos.

Possíveis exceções apenas confirmam esta regra de boa continuidade. A universidade de hoje é também fruto do trabalho dos que a fizeram ontem e a universidade do futuro será, em boa parte, o que pensamos, discutimos e equacionamos nos dias correntes.

Zelando pelo contínuo aprimoramento dos métodos de gestão, os dirigentes acadêmicos obrigam-se a asseverar uma segurança orçamentária, no curto, médio e longo prazos, capaz de oferecer o melhor ambiente possível de previsibilidade para a realização das atividades-fim da instituição.

A crise nascida entre 2010 e 2013, que é real, vem sendo uma dura prova. A Universidade de São Paulo, no entanto, se move. Uma fase de escassez de meios, necessária à recomposição de possibilidades, não impede a marcha em direção a novos objetivos.

É disso que trata este conjunto de reflexões movidas pelo devotamento à universidade pública e pelo respeito à sociedade que a mantém.

A academia deve ser por natureza um espaço permanente de busca e descoberta, independentemente da etapa especial que atravesse, como é o caso dos dias de hoje. O ensino e a pesquisa científica incorporam sempre esta preocupação e o mesmo se pode afirmar de uma governança universitária que assegure o seu livre exercício.

A liderança do dirigente universitário se mede pela capacidade na agregação de competências, pela formulação de um projeto para a academia e pela disposição de promover a renovação das lideranças dirigentes. O dirigente acadêmico, além do sólido conhecimento da área que lhe cabe gerir, detém, portanto, uma compreensão abrangente da universidade e é capaz de construir uma visão coletiva de futuro a ser viabilizada além da duração dos mandatos.

Este livro identifica as causas do desequilíbrio financeiro da Universidade de São Paulo, no período de 2010 a 2014. Além da análise factual, a obra propõe medidas para que desequilíbrios semelhantes sejam evitados no futuro. Trata-se de uma contribuição para o aprimoramento da governança universitária e da tomada de decisões nas universidades públicas brasileiras.

Organizador

Jacques Marcovitch

Colaboradores

Alexandre Sassaki
Carlos Antonio Luque
José Goldemberg
Luiz Nunes de Oliveira
Nina Ranieri
Rudinei Toneto Jr.
Sérgio Adorno
Vahan Agopyan

Data do Conteúdo: 
terça-feira, 18 Abril, 2017

Departamento:

Sugira uma notícia