Semana da Diversidade promove união entre arte e ativismo

Autor: Bruno Carbinatto

 

Pautas sociais e identitárias vêm ganhando cada vez mais presença no debate público, mas muitos alunos ainda consideram que a discussão é deficitária na Universidade. Foi pensando em suprir essa demanda que o Centro Acadêmico Visconde do Cairu (CAVC), juntamente com os coletivos da FEAUSP e alunos independentes, organizaram a V Semana da Diversidade na FEA, entre os dias 17 e 21 de setembro. Anual, a Semana tem como objetivo “trazer para a FEA discussões sobre diversidade e opressões que pouco se discutem no nosso espaço”, diz Ana Paula Villar, aluna de Economia e uma das organizadoras.

Entre mesas, workshops e feirinhas de pequenos produtores, a Semana também foi uma forma de homenagear Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro assassinada no dia 14 de março de 2018. Marielle era uma socióloga com um longo histórico de militância por minorias e defesa dos direitos humanos. A escolha do tema não foi por acaso: “Marielle se tornou um símbolo. Ela foi uma mulher negra, lésbica e periférica que ousou denunciar os abusos que ocorriam na sua comunidade e ousou representar o seu povo por meio da luta e da política”, diz a organizadora.

O evento também teve o intuito de promover maior diversidade entre a própria comunidade feana. “Acho que a FEA não é representativa nem das minorias, nem da população brasileira”, comenta Ana Paula. Ela lembra que a grande parte das carreiras da FEA ainda são dominadas por homens brancos de alta renda, mesmo a USP sendo uma Universidade pública. “Precisamos dar mais acesso [à população de baixa renda] e precisamos conscientizar essa população que a USP é uma universidade que eles precisam e podem ocupar”. Nesse sentido, ela cita iniciativas como cursinhos populares e o Genera (Núcleo de Pesquisa em Gênero e Raça da FEA), que fez uma visita com alunos de escolas públicas pela USP durante a Semana.

A Semana também contou com atividades artísticas: o TRANSarau e a exibição e discussão do filme “Que horas ela volta?”, da cineasta Anna Muylaert. Também ocorreu uma sessão Pratas da Casa, palestra em que um professor compartilha com os alunos suas pesquisas e conhecimentos, com a professora Silvia Casa Nova, primeira mulher a conquistar o cargo de professor titular do Departamento de Contabilidade da FEA e estudiosa do papel da mulher na Academia. Os alunos também promoveram um workshop de defesa pessoal para mulheres e uma mesa temática sobre deficiência: “Quisemos trazer a questão de pessoas com deficiência no trabalho e na faculdade, que é um tema muito pouco abordado em relação às outras pautas”, comenta Ana Paula.

A semana de atividades é resultado do esforço coletivo de alunos da FEA, o que demonstra um avanço, na opinião da organizadora: “Nos últimos anos, várias unidades da  USP vêm realizando Semanas da Diversidade e outros eventos parecidos. Acho que essas iniciativas são muito importantes, refletem as mudanças que a USP vem enfrentando e apontam um pouco pra onde vai nossa luta”.

 

Data do Conteúdo: 
Quarta-feira, 26 Setembro, 2018

Departamento:

Sugira uma notícia