Programa de pós-graduação em Contabilidade completa 50 anos

João Mello

 

O Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade (PPGCC) da FEA foi criado em 13 de outubro de 1970, quando a pró-reitoria de graduação autorizou a abertura do curso de mestrado. Este ano, portanto, o programa completou os seus 50 anos de história. Para comemorar a ocasião, foi criado um site oficial contendo histórias e depoimentos de alunos e professores que passaram pelo PPGCC e foi realizada uma live na qual egressos notáveis falaram um pouco sobre suas experiências e percepções a respeito do Programa. 

 

O diretor da FEA, Fábio Frezatti, abriu os depoimentos falando que o PPGCC surgiu no Brasil para preencher uma lacuna importante, não só em termos de identidade, mas de capacidade de multiplicação: a formação. Também comentou que um programa só dura 50 anos porque tem "gigantes". Já o chefe do departamento de Contabilidade e Atuária, Valmor Slomski, apontou como há 50 anos o país vivia um momento difícil do ponto de vista democrático, "mas felizmente este programa produziu muito conhecimento contábil do ponto de vista societário e do ponto de vista da controladoria e contabilidade". Há 23 anos, Slomski havia chegado à FEA para fazer seu mestrado motivado por uma palestra de Armando Catelli (professor emérito, falecido em 2017). 

 

Os docentes Sérgio de Iudícibus e Eliseu Martins relembraram quando foram, respectivamente, professor e aluno no PPGCC. Eles contaram como o programa surgiu em um contexto da reforma universitária de departamentalização, e que as aulas iniciais ocorriam no período noturno com os recursos disponíveis na época. Eliseu lembrou que a FEA criou a primeira pós-graduação em contabilidade do país e que eles tiveram de buscar programas de PhD em "Accounting" para convencer a Pró-Reitoria de Pós-Graduação a autorizar a abertura do curso de doutorado. Ainda, os professores contaram como o PPGCC teve um "efeito multiplicador", porque os primeiros pesquisadores empreenderam iniciativas para alavancar a criação de cursos de mestrado e doutorado em contabilidade em outras partes do Brasil.  

 

Sem essas iniciativas, não seria possível hoje existir o ANPCONT (Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis), presidida por José Elias de Almeida, também egresso do PPGCC. Ele relatou que conheceu o Programa primeiro através dos livros dos professores, e depois teve a oportunidade de estudar com esses autores no doutorado. José Elias percebe como vêem-se os impactos daqueles que vieram antes, e hoje os alunos podem usar melhores métodos e continuar melhorando a própria sociedade com retorno das pesquisas. "Um país que busca crescer tem que ter ciência, e sabemos que a qualidade dessa pesquisa vai determinar o futuro de uma profissão e a evolução do país, da economia e dos setores. A pesquisa é o que puxa a evolução do mercado."

 

Maria Clara Bugarim estudou no PPGCC e foi a primeira mulher a presidir algumas das principais associações profissionais da área contábil: o Conselho Federal de Contabilidade, Fundação Brasileira de Contabilidade e atualmente preside a Academia Brasileira de Ciências Contábeis e a Associação Interamericana de Contabilidade. Ela agradeceu aos professores que a ensinaram e à iniciativa do Programa de trazer alunos de todas as partes do país. Bugarim se recorda de um momento que pode transmitir o espírito do PPGCC em seus 50 anos de existência. Ela tinha aulas com Armando Catelli e, em uma apresentação de trabalho, utilizou muito embasamento teórico escrito pelo próprio professor. Este, por sua vez, questionava-a mais e mais. Quando ela disse que a teoria que ela utilizava era dele, Catelli respondeu que o objetivo de formar mestres e doutores era sempre questionar o que veio antes e evoluir, crescer para algo melhor. 

 

 

Data do Conteúdo: 
quinta-feira, 17 Dezembro, 2020

Departamento:

Tags:

Sugira uma notícia