Podcast mostra que economia também é “assunto de mulher”

João Mello

 

Desde o início de julho, o grupo de pesquisas da FEA formado exclusivamente por mulheres – o EconomistAs – lançou um canal de divulgação: o Podcast das EconomistAs, com a apresentação das professoras Paula Pereda (FEAUSP) e Laura Karpuska (FGV). Segundo Pereda, seu objetivo é o de “incentivar as mulheres a falarem, interessarem-se por questões econômicas e a perceberem que economia também é coisa de mulher". 

 

Paula Pereda destaca que, muitas vezes, o debate público é dominado pelos homens, e que as pautas e políticas públicas levadas à discussão pelas mulheres acabam focando, preponderantemente, nas necessidades de gênero e família. “A ideia de criar um podcast é o de reconhecer mais a voz de mulheres economistas”.

 

O grupo EconomistAs – Brazilian Women in Economics (BWE) surgiu em 2017 por iniciativa das pesquisadoras e professores da FEA Maria Dolores Montoya Diaz, Fabiana Fontes Rocha e Paula Pereda. Os objetivos do grupo são estudar as dimensões de diferencial de gênero no Brasil e promover a participação de mulheres na área. 

 

O programa será exibido quinzenalmente e tratará de temas econômicos pela visão das economistas, de maneira descomplicada. No primeiro episódio, a convidada foi Ana Carla Abrão, consultora da Oliver Wyman que elaborou junto com um grupo de especialistas o plano de reabertura gradual do Estado de São Paulo, o chamado Plano São Paulo. A economista explicou como a estratégia foi desenvolvida e até que ponto a pandemia escancara desigualdades sociais e de gênero. O Podcast EconomistAs pode ser acessado aqui.

 

Em um segundo episódio especial, Paula Pereda trocou de lugar, de entrevistadora a entrevistada, para abordar aspectos sobre a violência doméstica que teve um crescimento durante a quarentena. 

 

Para episódios futuros do podcast, pode-se esperar mulheres tratando de questões relevantes como diferença salarial, o papel das mulheres na política, e polarização e seu impacto em políticas públicas. As pesquisadoras também pretendem trazer convidados homens para conversar sobre questões de gênero e família. 

 

A professora Paula Pereda chama atenção, ainda, para o fato de que existe, no campo das ciências econômicas, uma enorme “subrepresentação” do gênero feminino. Tal disparidade, segundo ela, pode advir da falta de role models (mulheres que inspiram o aparecimento de novos profissionais) e de uma visão estereotipada de que a economia é dominada por homens e focada no mercado financeiro/bancário, além da própria discriminação de gênero. 

 

 

 

Data do Conteúdo: 
terça-feira, 14 Julho, 2020

Departamento:

Sugira uma notícia