EPEP promove debate sobre a democracia e as instituições

João Mello

 

Para discutir a importância das instituições e novas formas de autoritarismo emergentes, a EPEP (Estudos de Política em Pauta) da FEA promoveu o evento “Democracia no limite: a captura de instituições no Brasil e no mundo”. Foram convidados para debater o professor e economista Luis Meloni e o jornalista Demétrio Magnoli. 

 

Meloni introduz o assunto discorrendo sobre a importância das chamadas instituições para a manutenção de democracias. Em economia, entende-se "instituições" como as "regras do jogo" que definem os padrões para o funcionamento do mercado e da política. Segundo o economista, hoje vive-se um período em que essas regras vêm sendo questionadas.

 

Demétrio Magnoli traçou um cenário histórico que propiciou a ascensão do "nacionalismo populista de direita" como fenômeno global. Nos últimos anos, países "subdesenvolvidos" cresceram mais do que os "desenvolvidos", e não houve distribuição de renda nesses segundos. Dessa forma, uma classe média tradicional e trabalhadores assalariados de países desenvolvidos passaram a integrar uma classe que o jornalista chamou de perdedores ou órfãos da globalização. 

 

Esses "órfãos" teriam desempenhado um comportamento político fundamental ao se dirigirem rumo a correntes políticas nacionalistas e populistas de direita, caracterizadas pela xenofobia e pelo protecionismo. A ascensão desses grupos foi marcada por eventos como o Brexit, a eleição de Donald Trump e o crescimento de partidos dessa ideologia na Europa. Tais partidos se elegeram ou cresceram a partir de uma ruptura com partidos tradicionais e com o filtro gerado pelas instituições. "Esses líderes utilizam os Estados para capturar instituições e transformá-las em correias de transmissão do poder Executivo."

 

Os participantes da live identificam também uma ascensão dessa corrente política no Brasil, mas que se deu de forma diferente. Desde que foi eleito, Bolsonaro tem questionado as instituições democráticas e chegou a acusar de fraude a eleição que ele mesmo ganhou. Entretanto, Demétrio e Luis avaliam que o sistema de freios e contrapesos "tem funcionado, mas com ressalvas" para impedir uma guinada autoritária: o Congresso aumentou o auxílio emergencial, o Judiciário decidiu que estados e municípios tinham autonomia para decidir em relação à pandemia, o STF abriu um inquérito sobre ala ideológica de Bolsonaro e tomaram-se ações para frear o presidente. 

Magnoli explica que o sistema partidário mantinha uma concordância em relação ao valor das instituições que se perdeu nos últimos tempos. E, de acordo com o professor Meloni, líderes extremistas chegam ao poder por meio do processo democrático para depois capturar instituições, com um papel muito importante das redes sociais. Há uma chegada da tirania muito mais lenta, mas a propagação da informação muito mais veloz. Os debatedores vislumbram uma de reação de setores da sociedade e vêem o fato de Donald Trump não ter sido reeleito como um golpe importante para frear a ascenção dessa correntes nacionalistas e populistas de direita.  

 

 

 

Data do Conteúdo: 
quarta-feira, 11 Novembro, 2020

Departamento:

Tags:

Sugira uma notícia