"Economia na Mesa" discute conjuntura com economistas e CEOs

Por Bruna Arimathea

Com discussões no âmbito político-econômico, o evento "Economia na Mesa" trouxe nomes importantes que opinaram sobre a situação atual brasileira. Evento ‘carro-chefe’ da Liga de Mercado Financeiro, o Economia na Mesa aconteceu em dois dias e contou, como sempre, com ilustres nomes do meio econômico e empresarial do país. Na quinta edição do evento, os convidados Maurício Molan, Marcos Lisboa e André Lara Resende, no Dia dos Economistas e Dimitri Abudi, Eduardo Alcalay e Luiz Carlos Trabuco, no Dia dos CEOs, discutiram questões pertinentes à área, principalmente ligadas à política e a situação atual econômica do Brasil.

Aberto pelo vice-presidente da Liga de Mercado Financeiro, André Schmid, o primeiro dia foi marcado por discussões sobre a conjuntura econômica brasileira. Temas como as reformas do governo Temer, expectativas de crescimento da economia e metas de inflação e taxa de juros foram expostos à mesa.

 André Lara Resende, Maurício Molan e Marcos Lisboa, grandes personalidades da economia brasileira, protagonizaram um debate profundo, porém bastante compreensível pelos alunos e demais presentes, segundo a diretoria de eventos da Liga.

O segundo dia foi permeado de discussões no âmbito empresarial, mas nem por isso deixou de trazer à tona as questões tributárias e políticas do momento. A questão fiscal foi um assunto bastante abordado durante a noite pelos CEOs. Sobre a recessão, Luiz Carlos Trabuco afirmou que o ideal seria que a recuperação não fosse de forma cíclica, dessa forma não culminaria sempre na volta de um período de crise.

Para Eduardo Alcalay, presidente do Bank of America Merrill Lynch no Brasil, existe uma necessidade de mudança estrutural, principalmente quanto ao sistema tributário. Segundo ele, a cobrança incisiva e alta afasta investidores internacionais e torna o país menos atrativo, mesmo com a quantidade de recursos existentes.

Segundo Dimitri, fundador da IGC Partners, esse é um desafio para o Brasil do próximo governo e acredita que não existem muitas visões diferentes sobre o futuro, ao passo que há um consenso sobre a relação estado – economia que parece pairar sobre o período.

Isabela Fonseca, diretora de parcerias da Liga de Mercado Financeiro, confirma o sucesso do evento e pontua: “Ficamos muito orgulhosos com o resultado. A Liga de Mercado Financeiro trabalha muito para que os nossos eventos sejam destaque e referência dentro da faculdade, ampliando nosso papel de influência dentro do ambiente estudantil”.

Data do Conteúdo: 
segunda-feira, 26 Março, 2018

Departamento:

Sugira uma notícia