Curso realizado na FEA focou melhoria da gestão das OSCs

Por César Costa

 

As organizações da sociedade civil (OSCs) são um importante motor do chamado terceiro setor. Elas desenvolvem projetos sociais com finalidade pública e uma de suas características principais é que não possuem fins econômicos. Durante o último mês de setembro, a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP (FEAUSP) e a ONG Parceiros Voluntários receberam diversos líderes de OSCs para o curso “Educando para Transparência”, realizado aqui na FEA. A ideia foi transmitir aos gestores dessas organizações sugestões de como melhorar seu processo gerencial, com transparência e prestação de contas, além de buscar aumentar a efetividade no atendimento do propósito desse tipo de entidade.

 

No total, 92 organizações se inscreveram. Dessas, 31 foram selecionadas e 20 conseguiram concluir o curso. Os participantes tiveram 90 horas de aulas presenciais com mais 24 horas de consultorias coletivas de planejamento estratégico, liderança, comunicação, questões financeiras, contábeis, legais, além de 8 horas de consultorias individuais.

 

Segundo a vice-coordenadora do projeto, Jane Marques, professora do Mestrado de Empreendedorismo da FEA e da EACH-USP, a proposta do “Educando para a Transparência” veio da própria ONG Parceiros Voluntários. “Eles ajudam outras OSCs a trabalharem de forma coerente, coesa e transparente, por isso o nome Educando para Transparência”.

 

O desafio de organizar o curso partiu do vice-diretor da FEA, José Afonso Mazzon. A iniciativa resultou no fornecimento de ferramentas eficientes para a gestão desse tipo de negócio. Mesmo tendo como característica o fato de não terem fins lucrativos, as entidades precisavam entender mais da área de gestão para poder conduzir e atuar no que se propõem a fazer. 

 

Esse não é o primeiro projeto da Parceiros Voluntários. “Eles já desenvolvem esse tipo de trabalho, há muitos anos, no Rio Grande do Sul. Lá, eles têm uma ligação muito forte com a UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul)”, disse Jane Marques. 

 

Uma das características do curso foi a pluralidade, já que houve a participação de OSCs de diferentes áreas de atuação (vide gráfico 1), tais como como educação, assistência social, inclusão social, capacitação profissional, cultura, meio ambientem saúde, esportes e responsabilidade social empresarial, e com orçamentos diferenciados (vide gráfico 2), que somam um total de R$ 170 milhões.

 

Segundo a professora Jane Marques, os representantes das OSCs atendidas pelo projeto ficaram bastantes satisfeitos com o trabalho. Mais da metade deles destacaram que o principal benefício do curso foi ter um maior entendimento sobre informações contábeis, além da percepção de uma melhoria nos processos de gestão. Boa parte também reconheceu ter conseguido um maior controle dos movimentos financeiros dentro das organizações. 

 

“Percebemos os participantes bastante engajados, então é possível termos novos projetos juntos”. Jane Marques adiantou, ainda, a possibilidade de repetir o curso, trazendo módulos adicionais e até dar continuidade a essa primeira turma. “Podemos incluir desta vez outros assuntos referentes às áreas tributária e financeira”, finalizou ela. 

 

 

 


 

Data do Conteúdo: 
sexta-feira, 13 Dezembro, 2019

Departamento:

Sugira uma notícia