Com 18 anos, PESC cresce e busca projeção fora da USP

Grupo vencedor Pesc 2018

Criado em 2001, o PESC - Programa de Extensão de Serviços à Comunidade completa 18 anos e se consagra como um dos maiores projetos de extensão universitária da USP. Idealizado pela professora titular Rosa Maria Fischer, o PESC auxilia organizações do terceiro setor através de projetos estruturados pelos próprios alunos, que têm a oportunidade de atuar na área social em diversas frentes. Em 2019, o PESC pretende expandir ainda mais suas fronteiras e assumir destaque em toda a USP e também fora dela.

O professor responsável pelo programa, Carlos Alberto Pereira, do departamento de Contabilidade e Atuária, conta que, para esse ano, 20 bolsas do Programa Unificado de Bolsas da USP (PUB) foram reservadas para o PESC. Além do tradicional financiamento para os projetos desenvolvidos, o programa também busca expandir a divulgação dos trabalhos, tanto internamente como externamente, para atrair voluntários e também buscar ONGs e associações que tenham demanda que a Universidade possa atender.

O PESC funciona através de diversos projetos paralelos, que são encabeçados por um grupo de alunos supervisionados pelos professores. Os tipos de trabalho variam, e abordam diversos tópicos, como administração financeira, marketing, estruturação administrativa etc. Os alunos voluntários também recebem minicursos de formação para atuação focada no terceiro setor.

O professor Carlos Alberto ressalta que o PESC é uma oportunidade única para os alunos, oferecendo diversas formas de aprendizado, como “colocar em prática aquilo que se aprende na sala de aula, desenvolver habilidades de trabalho em equipe e liderança, interação com alunos de pós-graduação e professores, além, é claro, do exercício da cidadania”. O objetivo agora é atrair também voluntários de fora da FEA — o projeto é aberto para toda a USP, e é contabilizado na contagem de créditos extracurriculares.

Projeto de destaque

Todo ano, o programa divulga um projeto de destaque entre os desenvolvidos naquele período. Em 2017, o grupo premiado ajudou na construção de um cursinho popular para alunos de baixa renda. Nesta última edição, o vencedor foi o grupo formado pelos alunos Bruno Medeiros Fernandes, Denis Augusto de Campos Jr, Lara Balieiro Castilho e Rafael de Lima Monteiro. Eles desenvolveram um trabalho para a ONG Teto, organização presente em 19 países da América Latina e Caribe que trabalha pela defesa dos direitos das pessoas que moram em situações precárias, por meio da construção de habitações emergenciais para famílias que vivem em situações de risco, além de outras iniciativas.

O grupo desenvolveu um método mais eficiente de captação de recursos para a ONG, coletando e estudando dados geográficos para estabelecer os pontos de coleta mais adequados para os voluntários. A equipe combinou dados do IBGE, da própria ONG, além de recursos e ferramentas como o QGIS, Microsoft Excel, Google Earth e a Análise de Regressão em pacote R. Os alunos tiveram auxílio de professores de diversas áreas, além de econometria, e desenvolveram também um modelo econométrico para a ONG armazenar e filtrar dados independentemente, sem precisar, a partir de agora, de uma consultoria externa. O grupo foi premiado como o melhor projeto do PESC durante a Aula Magna da FEA, ocorrida no dia 11/03.

Gente da FEA - Março de 2019
Por Bruno Carbinatto
Fotos: Ismael Belmiro do Rosário

Data do Conteúdo: 
quinta-feira, 14 Março, 2019

Departamento:

Sugira uma notícia