Pioneiros

A primeira geração de professores da FEA foi constituída logo após a criação da Escola, em 1946. A então Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas (FCEA) recrutou seus professores na Capital paulista, na própria Universidade de São Paulo (sobretudo na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras - FFCL e na Faculdade de Direito) e em outros Institutos de ensino superior.

A contratação dos Pioneiros iniciou-se a partir de março de 1946 para as cátedras da primeira série dos seus dois cursos: Ciências Econômicas e Ciências Contábeis e Atuariais. Já no início do ano escolar de 1946, a Faculdade contava com uns poucos catedráticos nomeados em caráter efetivo, sem concurso (durante a interventoria de Macedo Soares), e vários professores contratados por três anos, após concurso de títulos.

Os Pioneiros foram os principais responsáveis pela formação das equipes de trabalho que, a partir de 1964, desempenharam papel fundamental na elaboração do planejamento econômico regional e nacional do Brasil e na orientação da política econômica, tanto a nível municipal, como estadual e federal.

Desde o início da FEA, as cadeiras estavam agrupadas em departamentos, embora na prática predominasse a estrutura de cátedra, segundo a qual os Assistentes e Auxiliares de Ensino ocupavam funções de confiança do catedrático. Existiam naquela época os departamentos com função docente, tais como o de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária, Matemática, Estatística, Direito e Ciências Culturais, e o Departamento de Publicações, que tinha função administrativa.

Apenas as cátedras eram preenchidas por concurso de títulos e provas. Mas a Faculdade optou inicialmente pela contratação de professores mediante apenas concurso de títulos. Por isto, o primeiro regimento possibilitou aos professores contratados a participação na Congregação com todos os direitos de catedrático efetivo.

No primeiro semestre de 1946, formou-se então o grupo inicial de docentes da Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas, a partir da contratação dos seguintes professores:

Laerte de Almeida Moraes – Professor da Faculdade de Ciências Econômicas Álvares Penteado, com experiência no ensino de 2º grau em diversos colégios da Capital e com atividade junto à Reitoria da USP, Laerte de Almeida Moraes era catedrático e foi nomeado em 1946 para a Cadeira de Economia Política e História das Doutrinas Econômicas.

Attílio Amatuzzi – Contratado em 1946 para a Cadeira de Contabilidade Geral e Pública, Attílio Amattuzzi veio da Fundação Álvares Penteado e da Reitoria da USP. Deixou seu nome indelével na história da Faculdade ao criar o Escritório Piloto, que dispunha de todo o material e equipamento necessário, como um laboratório, para o ensino prático da Contabilidade. Lá, os alunos podiam verificar e aprender o funcionamento do Departamento de Contabilidade de uma empresa, através de modelos.

Luiz Arthaud Berther – Foi contratado para a Cadeira de Complementos de Matemática e Análise Matemática, em 1946. Era Assistente de Matemática Financeira e Atuária na Faculdade de Ciências Econômicas de São Paulo, da Fundação Álvares Penteado, professor de Matemática de 2º grau no Colégio Pan Americano e no Colégio Bandeirantes, além de Bacharel em Ciências Matemáticas.

Luiz de Freitas Bueno – Contratado para a Cadeira de Estatística Metodológica e Estatística Econômica, em 1946, formou-se pela Escola de Engenharia Mackenzie e fez pós-graduação em Estatística Econômica na Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo. Contava com significativa experiência didática como professor da Cadeira de Estatística Geral e Econômica da Escola Técnica de Comércio de São Paulo, de Matemática da Escola Técnica do Instituto Mackenzie, e Matemática e Estatística nos cursos de Especialização do Departamento Estadual de Estatística de São Paulo. Além disso, possuía experiência no campo de estatística aplicada, pois pertencera ao Departamento Estadual de Estatística de São Paulo.

José Reis – Diretor do DASP (Departamento de Administração do Estado de São Paulo), José Reis era catedrático e foi nomeado em 1946 para reger a Cadeira de Ciência da Administração em caráter efetivo e sem concurso na FEA. 

Geraldo de Campos Moreira – Contratado em 26 de março de 1946 para reger a Cadeira de Instituições de Direito Público, havia se formado nas Arcadas e era Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais. Era Professor Assistente de Administração Pública da Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo, Professor de Direito Constitucional da Escola Técnica de Comércio Álvares Penteado, Professor de Direito Administrativo e Ciência da Administração e Finanças da Fundação Álvares Penteado e Professor Catedrático da Cadeira de Instituições de Direito Público da Faculdade de Ciências Econômicas, da Fundação Álvares Penteado. Sua experiência estendia-se também à atividade pública como procurador do Departamento Jurídico da Prefeitura de São Paulo. Foi o primeiro dirigente do Departamento de Direito da FCEA.

André Franco Montoro – Foi regente da Cadeira de Instituições de Direito Privado da FCEA. Montoro foi classificado em 1º lugar em concurso de títulos realizado pelo Conselho Universitário, em 1947. Além de intensa atividade docente na FCEA e na PUC, nas áreas de direito e filosofia, foi também procurador do Estado de São Paulo, vereador, deputado estadual e federal, e ministro do Trabalho e Previdência Social (1961/62). Posteriormente, já desligado da FEA tornou-se senador (1971/83) e governador (1983/87).

Dorival Teixeira Vieira – Contratado em 11 de abril de 1946 para reger a Cadeira de Valor e Formação de Preços, Dorival Teixeira Vieira estudou Ciências Sociais na FFCL da USP. Foi Assistente do Prof. Paul Hugon, junto à cadeira de Economia Política e História das Doutrinas Econômicas da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP, onde se doutorou e prestou concurso de Livre-Docência e atuava como Assessor Técnico da Associação Comercial de São Paulo.

No segundo semestre de 1946, com o objetivo de prover as cadeiras do segundo ano, o número de professores da então Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas (FCEA) elevou-se para catorze. A Faculdade contratou, pelo prazo de três anos, os seguintes professores:

Clodomiro Furquim de Almeida – Contratado para reger a Cadeira de Matemática Financeira e Matemática Atuarial, era autoditada nas duas disciplinas. Possuía renome nacional também em Contabilidade. Foi o primeiro professor do curso de Ciências Contábeis a tornar-se Professor Catedrático por concurso na FEA.

Francisco D´Áuria – Contratado para reger a Cadeira de Estrutura de Análise de Balanços, Revisões e Perícias Contábeis, Francisco D´Áuria é autor de inúmeras obras de contabilidade, ocupou altos cargos na administração pública, tendo prestado valiosa colaboração à FEA. Teve projeção internacional, sendo o primeiro brasileiro a receber o honroso título de Contador Emérito das Américas na Conferência Interamericana de Contabilidade de 1952, no México. Por volta de 1954 foi aposentado pela compulsória.

Luiz de Castro Sette – Contratado para reger a Cadeira de Organização e Contabilidade Industrial e Agrícola.

Para completar esse primeiro grupo de docentes, foram nomeados em caráter efetivo e sem concurso na FCEA mais três catedráticos:

Affonso Penteado de Toledo Piza – Já concursado pela Escola Politécnica da USP, foi nomeado para a Cadeira de Estatística Matemática e Demográfica.

Sud Menucci – Nomeado para a Cadeira de Geografia, História e Sociologia.

João de Oliveira Filho – Nomeado para a Cadeira de Instituições de Direito Privado.

Em outubro de 1946, as nomeações de catedráticos em caráter efetivo e sem concurso na FCEA gerou uma crise que provocou greve dos alunos e levou os professores, efetivos e contratados, a colocarem seus cargos à disposição do Governador, que aceitou apenas a demissão dos catedráticos efetivados José Reis, Affonso Penteado de Toledo Piza, Sud Menucci e João de Oliveira Filho. Desses professores, foram reintegrados judicialmente, um decênio mais tarde, Laerte de Almeida Moraes [L1] e Affonso Penteado de Toledo Piza.

Após a crise, o Conselho Universitário completou, então, o corpo docente da FCEA com os seguintes professores:

Carlos Alberto Vanzolini – Professor Catedrático da Escola Politécnica, Carlos Alberto Vanzolini foi indicado para reger a Cadeira de Ciência da Administração. Pouco tempo depois solicitou exoneração e foi substituído pelo Prof. Wagner Vieira da Cunha.

Theotônio Maurício Monteiro de Barros Filho – Professor Catedrático da Faculdade de Direito, Theotônio Monteiro de Barros Filho foi designado para reger a Cadeira de Finanças Públicas.

Paul Hugon – Catedrático de Economia na França e contratado pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP, Paul Hugon foi indicado para reger a Cadeira de Economia Política e História das Doutrinas Econômicas devido ao afastamento de Laerte de Almeida Moraes. Além de participar dos estudos sobre a fundação da FEA ao nível da Reitoria da USP, já em 1943, por ocasião do I Congresso de Economia Política (Rio), Hugon defendeu a urgente necessidade de estudos econômicos “independentes” e propôs a criação de uma Faculdade de Ciências Econômicas. Com a reforma de 1969, a Cadeira de Economia Política e História das Doutrinas Econômicas da FFCL foi integrada à FEA e, assim, o Prof. Hugon retornou à Faculdade após uma interrupção de cerca de dez anos, permanecendo nela até a sua aposentadoria, em 1971.

Ainda no ano de 1946, faziam parte do corpo docente da FCEA os seguintes professores:

José Ignácio Benevides de Rezende – Contratado para reger a Cadeira de Sociologia Econômica.

Cássio José de Toledo – Contratado para reger a Cadeira de Técnica Comercial e dos Negócios.

Em 1947, foi acrescentada a Cadeira de Repartição da Renda Social, dirigida por Roberto Pinto de Souza.

Durante a primeira reforma curricular (1947), houve o desdobramento de algumas cadeiras, o que exigiu a ampliação do corpo docente. Como o Conselho Universitário havia deliberado que novas cadeiras seriam providas somente após exame dos currículos dos candidatos, foram abertas inscrições para preenchimento das Cadeiras de Ciência da Administração, Geografia Econômica e História Econômica. Realizadas as seleções, foram aprovados e contratados, pelo prazo de três anos, a partir de 27 de agosto de 1947, os respectivos professores:

Mário Wagner Vieira da Cunha – Contratado para a Cadeira de Ciência da Administração.

Dirceu Lino de Mattos – Contratado para Cadeira de Geografia Econômica.

Alice Piffer Canabrava – Contratada para a Cadeira de História Econômica. Licenciada em Geografia e História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP, já havia conquistado, na mesma entidade, os títulos de Doutor e Livre Docente. Tornou-se em 1951 a primeira catedrática da FEA, por concurso. Colaborou ativamente nas fases de implantação, consolidação e projeção da FEA como importante centro de ensino e pesquisa e como formadora de destacado grupo de especialistas em História Econômica.

Na área de Contabilidade, além dos professores Francisco D´Auria e Attílio Amatuzzi, já citados, foram pioneiros da FEA:

Milton Improta – Professor do curso de Ciências Contábeis e Atuariais desde a fundação da Faculdade até 1967, quando se aposentou. Improta é conhecido, além de seus trabalhos, pela sua luta pelo engrandecimento da classe dos contadores. Chegou a exercer o cargo de Prefeito de São Paulo. A FEA deve ao Prof. Improta todo um trabalho persistente e exaustivo, desenvolvido durante vários anos, para conseguir sua fundação, que acabou se concretizando em 1946.

Antonio Peres Rodrigues Filho – Foi assistente do Prof. Francisco D´Auria e tornou-se um dos primeiros Professores Catedráticos por concurso, no Brasil, na área de Contabilidade. Foi também o primeiro Chefe do Departamento de Contabilidade, após a Reforma de 1969. Implantou o curso de pós-graduação em Contabilidade e a ele também se deve a implantação e desenvolvimento da Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras – FIPECAFI, órgão de apoio e de cooperação do Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA.

Antenor Silva Negrini – Sucedeu ao emérito Prof. Francisco D´Áuria na cátedra da disciplina Estrutura e Análise de Balanços, por volta de 1954.

José da Costa Boucinhas – Ingressou na Faculdade por volta de 1948, na condição de Assistente do Prof. Milton Improta, titular da cadeira Organização e Contabilidade Industrial e Agrícola. Em 1960, foi nomeado para a disciplina Contabilidade de Custos, que acabara de ser criada. Poucos anos depois, conquistou o título de Livre-Docente daquela Cátedra e, após a Reforma de 1969, tornou-se Professor Adjunto.

Antonio Pereira do Amaral – Um dos primeiros integrantes do elenco de professores da FCEA, Antonio Pereira do Amaral foi elevado em 1947 à posição de Assistente do Prof. Clodomiro Furquim de Almeida, catedrático da matéria Matemática Financeira e Atuarial. Com sua plena dedicação e com indiscutível experiência profissional, visto que fora Contador-Chefe do Montepio Municipal de São Paulo, o Prof. Amaral substituiu o Prof. Clodomiro. Em 1976, após concurso público, tornou-se Professor Titular do Departamento de Contabilidade.

Sérgio de Iudícibus –  

Eliseu Martins

Edmundo Éboli Bonini

 

Assistentes que se destacaram

Da equipe de assistentes do Prof. Luiz de Freitas Bueno, destacaram-se tanto na área acadêmica como na área de cargos públicos executivos e de assessoria governamental:

Antonio Delfim Netto – Recém-formado pela FEA, o economista Antonio Delfim Netto foi contratado em 1952 como assistente do Prof. Luiz de Freitas Bueno. Delfim Netto tornou-se regente da Cadeira de Economia IV e depois catedrático por concurso, centrando seus trabalhos didáticos e de pesquisa em problemas da economia brasileira, planejamento governamental e teoria do desenvolvimento econômico. O Prof. Delfim Netto foi Secretário da Fazenda do Estado de São Paulo, embaixador em Paris e ocupou diversos Ministérios (Fazenda, Agricultura e Planejamento).

Carlos Antonio Rocca – Doutor e Secretário da Fazenda do Estado de São Paulo.

Affonso Celso Pastore – Professor Titular e Secretário da Fazenda do Estado de São Paulo.

José Tiacci Kirsten – Professor Adjunto e Diretor do Departamento de Estatística do Estado de São Paulo e da FIBGE.

Cecília Cukierman – Diretora do SEADE.

Akihiro Ikeda – Mestre e Chefe da Assessoria Econômica da Secretaria de Planejamento da Presidência da República.

Guilherme Leite da Silva Dias

Roberto Macedo

Desses assistentes que representaram a primeira geração de professores da FEA, alguns iriam, em seguida, constituir sua própria equipe. Foi o caso, por exemplo, de Antonio Delfim Netto, cujos assistentes também iriam se destacar especialmente na área executiva e de assessoria governamental, tais como:

Eduardo Pereira de Carvalho

José Roberto Mendonça de Barros

Paulo Yokota

Carlos Viacava

Agmar Rodrigues Faria

A primeira equipe de assistentes do Prof. Dorival Teixeira Vieira era constituída por:

Lenita Correa Camargo

Maria José Villaça

Luís Fernando de Souza Aranha

Helena Fanganiello –  

A essa equipe juntaram-se depois os seguintes professores, alguns deles contratados após a aposentadoria do Prof. Dorival Teixeira Vieira, pela regente da Cadeira de Economia II, Profa. Maria José Villaça:

Luís Carlos Pereira de Carvalho

Luís Sérgio Nadalini

Klaus Hering

Roberto Ferreira do Amaral –  

Wildenson Romeu Mariello

Raul Czarny

Miguel Colasuonno

José Fernando Martins Bonilha

Juarez Alexandre Baldini Rizzieri

Gilson de Lima Garófalo

 

Quando o Prof. Paul Hugon retornou à FEA, após sua Cadeira de Economia Política e História das Doutrinas Econômicas que pertencia à FFCL ser integrada à FEA, vieram junto seus assistentes. Destes, completaram sua carreira acadêmica na FEA, tornando-se Professores Titulares por concurso de títulos e provas os seguintes professores:

Diva Benevides Pinho

Carlos Marques Pinho

Wlademir Pereira

Heinrich Rattner

 

Pioneiros da Administração

Os cursos de Administração de Empresas e de Administração Pública foram criados na FEA somente no ano de 1964, apesar da cadeira de Ciência de Administração existir desde a implantação da Faculdade, em 1946. Foram pioneiros da FEA na área de Administração, além de Mário Wagner Vieira da Cunha e Lenita Corrêa Camargo já citados, os seguintes professores:

Ruy Aguiar da Silva Leme –  

Sérgio Baptista Zaccarelli – Ingressou na FEA como professor em 1964. Dedicou mais de quatro décadas ao Departamento de Administração da FEA, participando ativamente de momentos importantes de sua história. Graduado pela Politécnica em 1955, ingressou no ano seguinte como professor da Escola de Engenharia de São Carlos, dirigida pelo Prof. Ruy Leme, com quem desenvolveu vários trabalhos até a década de 70. Fez mestrado na Purdue University, obteve a Livre-Docência em 1965 e, em 1968, foi aprovado e nomeado Professor Catedrático da cadeira de Administração. Zaccarelli foi chefe do Departamento de Administração por vários mandatos. Foi responsável pela ativação do FUNAD – Fundo de Pesquisa do Instituto de Administração, em 1972. Instituiu a FIA (Fundação Instituto de Administração), que gradativamente substituiu o FUNAD. Em 1977, revitalizou a Revista de Administração, que estava inativa havia 10 anos. Fora do âmbito Acadêmico, Zaccarelli exerceu cargos na administração pública, tendo sido secretário de Economia e Planejamento do Estado de São Paulo.

Meyer Stilmann

Tetsuo Tsuji

Glória Della Mônica Trevisan – Graduada em 1963 em Economia na USP e contadora da Secretaria da Fazenda à disposição do Instituto de Administração, Glória Trevisan foi contratada, inicialmente, como professora voluntária da Cadeira de Ciências das Finanças e, em 1969, integrou-se definitivamente ao quadro docente da Faculdade.

José Luiz Martins Spino

Eduardo Pinheiro Gondim Vasconcellos

Jacques Marcovitch

Duilio Sandano -

-------------------------------------------------------------------------

[L1] Não consta como demitido