Seminário- Programas e ações para a promoção social da mulher negra

Programas e Ações Para a Promoção Social Da Mulher Negra

OBJETIVO

O propósito deste seminário é o de discutir a situação social da mulher negra, sobretudo a discriminação que ocorre no mercado de trabalho. O corolário desse encontro será propor temas de pesquisas que aprofundem o seu conhecimento e, principalmente, sugerir políticas públicas que promovam a sua inserção social.A literatura especializada recente, no Brasil e no exterior, mostra que a mulher negra enfrenta maiores obstáculos para ingressar no mercado de trabalho e ascender a cargos de maior remuneração. Por exemplo, a discriminação salarial de gênero é superior à de raça, com repercussões maiores sobre a mulher negra. No Brasil, o diferencial de salários por gênero está diminuindo nos últimos 30 anos, entretanto, mais recentemente, o estreitamento salarial deve-se mais à diminuição dos salários dos homens do que ao aumento dos salários das mulheres. Estudo recente sobre os assalariados urbanos aponta que a mulher negra, apesar de atingir, ao longo da segunda metade do século XX, níveis de escolaridade equivalentes ao do homem branco e superiores ao do homem negro, apresenta o maior hiato salarial em relação ao homem, independentemente da raça.Tanto as mulheres brancas como as negras, têm seus atributos produtivos desvalorizados pelos empregadores, com o agravante de que a mulher negra, no conjunto do mercado de trabalho, ocupa as piores ocupações como, por exemplo, o serviço doméstico e nos serviços pessoais. Estes resultados expressam a pior qualidade do ensino e o menor acesso à carreiras de maior prestígio social aos quais ela está submetida. A mulher negra encontra-se na encruzilhada de dupla discriminação: de gênero e raça.
 
PROGRAMAÇÃO

9h – Apresentação
Prof. Dr. Joaquim Guilhoto - Chefe do Departamento de Economia da FEA/USP.
Equipe técnica do projeto Uma perspectiva comparada sobre a discriminação de salários
entre empregados formais e informais segundo gênero e raça, em desenvolvimento por Profa.
Dra. Maria Cristina Cacciamali (FEA/PROLAM/NESPI/USP–CNPq), Fábio Tatei (NESPI/USP),
Cassiano Reinert Novais (PROLAM/NESPI/USP), Profa. Dra. Maria de Fátima José-Silva
(UNIFESP), Prof. Dr. Vladimir Sipriano Camilo (FSA/NESPI/USP).
 
9h30 - Situação e Políticas vigentes
Terezinha Bernardo (Professora Doutora, Faculdade de Ciências Sociais – Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP)
Mazé Lima (Secretaria da Cidadania da Prefeitura de Sorocaba)
Kátia Martins (Movimento de Mulheres Negras de Sorocaba – MOMUNES)
 
10h30 - Debate
Márcia de Paula Leite (Professora Doutora, Faculdade de Educação – Universidade Estadual de
Campinas - UNICAMP)
Rosana Ribeiro (Professora Doutora, Instituto de Economia, Universidade Federal de
Uberlândia – UFU)
12h00 - Almoço
13h30 - Oficina de trabalho - Propostas
15h00 - Debate
16h30 - Encerramento
Debatedores e organizações convidadas
Geledés, Criola, Fala Preta, Ceafro, Ação Educativa, Conselho Estadual da Comunidade Negra,
Mundo Negro, Afro-press, Portal Afro, Ceert, Unipalmares, Unegro.
 

Data do Conteúdo: 
Quarta-feira, 7 Maio, 2008

Departamento:

Sugira uma notícia