Núcleos de pesquisa do Departamento de Economia da FEA-USP potencializam atividades de suas áreas de conhecimento

por Luigi Parrini

Os núcleos de pesquisa do Departamento de Economia da FEA-USP desenvolvem-se em agrupamentos temáticos, nos quais professores e alunos de graduação e pós-graduação compartilham experiências em suas áreas de interesse, promovem publicações, eventos e outras atividades ligadas ao setor pesquisado.

Há sete núcleos consolidados no departamento: o Núcleo de Economia e Complexidade (Complex), o Núcleo de Estudos em História Demográfica (NEHD), o Núcleo de Economia Regional e Urbana (NEREUS), o Núcleo de Economia Socioambiental (NESA), o Núcleo de Estudos e Pesquisa em Política Internacional (NESPI), o Projeto Integrado de Nutrição Humana Aplicada (Prinutha) e o Grupo de Estudos e Pesquisa em História Econômica Hermes & Clio.

Eduardo Haddad, um dos professores responsáveis pelo NEREUS, criado há sete anos, explica quais são os pilares que justificam o sucesso do grupo: “Excelência acadêmica, internacionalização e mobilização de alunos de graduação e pós-graduação”.

De acordo com Haddad, o NEREUS possui  "um dos núcleos mais produtivos em termos de publicações nacionais e internacionais no departamento”, além de possuir publicações em revistas de ponta da área, obter mobilização de recursos externos para finianciamento de pesquisas, possuir intensa inserção na comunidade científica e ser responsável pela organização de três conferências internacionais na FEA-USP entre 2007 e 2009.

O professor também destaca a grande quantidade de teses e dissertações na área produzidas no núcleo, a intensa pesquisa aplicada para subsidiar políticas públicas por meio da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), um portfólio de pesquisa extremamente amplo e a participação ativa dos pesquisadores no resgate do planejamento espacial do país em bases científicas mais sólidas.

Depois de sete anos de atividade, Haddad considera o maior fruto do núcleo “ o desenvolvimento e aplicação de várias possibilidades analíticas que permitiram desenvolver inúmeras publicações, formar alunos e participar ativamente do debate sobre o processo de desenvolvimento do país, principalmente com trabalhos que subsidiam tomadas de decisões no setor público”.

Outro grupo de pesquisa atuante no departamento é o NESA, estabelecido há dois anos. De acordo com Ricardo Abramovay, professor responsável pelo núcleo, as maiores realizações são os dois grupos de estudos relacionados a teóricos da complexidade, o Ciclo Impactos Socioambientais dos Biocombustíveis, os Seminários Socioambientais. A integração entre os trabalhos acadêmicos sob o nome da NESA, por enquanto, ainda é pequena, pois “cada professor usa seu site para divulgação de trabalhos”. O portal do Departamento de Economia, recentemente, disponibilizou uma ferramenta para que o professor possa adicionar um paper e atrelá-lo também a um determinado núcleo de pesquisa.

Perguntado sobre quais fatores são essenciais para o desenvolvimento de um núcleo de pesquisa, Haddad cita quatro componentes: o envolvimento de professores dispostos a investir em pesquisa em uma determinada área de conhecimento, empreendedorismo acadêmico, que aumenta expectativas sobre a atuação dos docentes, harmonia dentro do grupo e vontade de trabalhar.

Data do Conteúdo: 
quinta-feira, 17 Julho, 2008

Departamento:

Sugira uma notícia