Departamento de Economia tem nova chefia

O Departamento de Economia (EAE) tem novo chefe. O professor José Carlos de Souza Santos assumiu no lugar de Eduardo Amaral Haddad, tendo o professor Rodrigo De Losso da Silveira Bueno ao seu lado como vice-chefe. O mandato teve início em julho e tem duração de dois anos, com término em 2020.

Depois de uma longa trajetória na FEAUSP e no mercado financeiro, o professor José Carlos foi vice-chefe do departamento em 2017, a convite do Haddad, e agora se encarrega do comando do Departamento com antigos e novos desafios.

O professor destacou a habilidade natural para a administração e reiterou a honra de ter sido convidado para exercer um cargo administrativo na Faculdade. A longa trajetória no mercado financeiro - desde o início da carreira até 2013 - também é parte da somatória necessária para que o professor adquirisse experiência para o cargo pleiteado. Com a chapa formada no departamento juntamente com De Losso, José Carlos decidiu se candidatar e foi eleito para assumir na metade deste ano.

“Tenho facilidade em administrar, facilidade em estabelecer metas, cobrar resultados, objetivos. Eu penso que administrei adequadamente instituições, por toda a trajetória e experiência que tive ao longo desses 30 anos no mercado financeiro. Não existe honra maior do que ser convidado a participar de alguma área de direção da universidade. Portanto, trabalhar no departamento de Economia como vice-chefe foi algo extremamente prazeroso e que me trouxe bastante satisfação”, afirmou, se referindo ao convite feito pelo próprio Haddad para que integrasse a sua gestão.

Apesar dos novos ares, a meta do novo chefe é lidar com um problema que também se tornou muito relevante na gestão anterior: a falta de professores no departamento. Entre aposentadoria, demissões e um falecimento, o Departamento de Economia opera com 24 professores a menos neste ano, em relação aos anos anteriores. O objetivo de José Carlos é manter a excelência da faculdade em todos os seus serviços, mesmo com um quadro reduzido.

“Com uma queda de cerca de um terço dos professores, é um desafio muito grande o que temos aqui. O que eu pretendo fazer é, nesses dois anos, manter os mesmos padrões de qualidade que nós temos até então. Os alunos que saem aqui da graduação têm um índice de empregabilidade muito bom, vão trabalhar nas melhores e maiores empresas do Brasil. Nossos alunos são bastante atuantes, seja no mercado de trabalho, seja na participação nos cursos ou exames da Anpec (Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia), nós estamos bem”.

“Na pós-graduação, nós recebemos alunos excelentes e do Brasil todo. A pós-graduação em Economia aqui da FEA é uma das melhores do país, tem a nota máxima da Capes. Em pesquisa, os nossos professores, nos últimos anos, ampliaram bastante o número de publicações em boas revistas científicas de Economia. Todos esses fatores, que muito nos orgulham, precisam ser mantidos, e é um enorme desafio manter isso com uma queda brutal do número de professores como o que nós tivemos”, explicou.

José Carlos de Souza Santos ingressou na graduação em Economia da FEA em 1972 e em 1985 já era doutor em Economia, também pela faculdade. É pesquisador da Fipe desde 1977 e professor da USP, desde 1981. Possui experiência profissional em mercado financeiro, tendo passado grande parte da carreira em atuação na área. Em 2013 decidiu se dedicar integralmente à FEA e assumiu postos em diversas comissões. Além disso, é autor de seis livros, sendo um deles o “Derivativos e Renda Fixa. Teoria e Aplicações ao Mercado Brasileiro”.

Gente da FEA - setembro de 2018
Autora: Bruna Arimathea

Data do Conteúdo: 
sexta-feira, 24 Agosto, 2018

Departamento:

Sugira uma notícia