Retorno ao curso

Portaria FEA-28/2012 que regulamenta as normas de retorno ao curso na FEA.

Os alunos desligados por força do Artigo 75, § 2º, incisos II, III, IV e V, e do artigo 76, incisos I e II, do Regimento Geral da Universidade de São Paulo, poderão requerer, uma única vez e no máximo cinco anos após o cancelamento, seu retorno ao curso, nos seguintes prazos:

I - primeira quinzena de maio e de outubro, para os desligados há um semestre ou mais;

II - em período estipulado pelo Serviço de Graduação, para os desligados no semestre em curso.

III - O aluno que deseja entrar com o pedido de retorno ao curso deverá preencher formulário específico, fornecido pelo Serviço de Graduação.

Serão indeferidos, de plano, os pedidos de reintegração ao curso formulados por ex-alunos que já tiveram um pedido de retorno, para o mesmo curso, deferido anteriormente, e, foram novamente desligados.

Serão indeferidos, de plano, os pedidos formulados por ex-alunos que, desligados por terem ultrapassado o prazo máximo para conclusão do curso, não tenham integralizado pelo menos 50% do total de créditos exigidos pelo currículo vigente na época em que estavam regularmente matriculados.

A Comissão de Graduação considerará, além das justificativas apresentadas para as causas que provocaram o cancelamento de matrícula, o desempenho acadêmico dos interessados quando estavam regularmente matriculados, quando for o caso.

III - O aluno que obtiver deferimento para seu pedido de retorno deverá cumprir as seguintes normas.

submeter-se à estrutura curricular vigente, cumprindo as adaptações necessárias;

matricular-se obrigatoriamente a cada semestre, sem exceção, até o final do curso, conforme o plano de estudos aprovado pela Comissão Coordenadora do Curso (CoC);

Cumprir integramente o plano de estudos aprovado pela Comissão Coordenadora do Curso (CoC);

IV - O não cumprimento de qualquer uma das normas acima implicará o desligamento automático do aluno, salvo em casos excepcionais, em que a Comissão Coordenadora do Curso (CoC), poderá autorizar pequenos ajustes no plano de estudos, desde que o prazo para a conclusão do curso estabelecido no plano original não seja alterado.

V - Não será autorizado o trancamento total ou parcial de matrícula ao aluno que for reintegrado ao curso.