Mestrado - Três ensaios sobre IDE e desenvolvimento desigual

Tipo de evento: 
Defesa
Data e hora: 
07/08/2020 - 14:00 até 17:00

 

Vinícius Curti Cicero

Mestrado - Três ensaios sobre IDE e desenvolvimento desigual

Orientador: Prof. Dr. Gilberto Tadeu Lima

Comissão: Profs. Drs. Carolina Troncoso Baltar, Rafael Saulo Marques Ribeiro e Fernando Balbino Botelho

Link youtube: https://youtu.be/v6Xd1kn0mBs

Resumo*

Esta dissertação tem como principal objetivo uma melhor compreensão de mecanismos subjacentes aos efeitos observados a partir da entrada de fluxos de Investimento Direto Estrangeiro (IDE) em economias em desenvolvimento. Com foco central nas questões referentes às trajetórias de desenvolvimento relativo de longo prazo entre regiões estruturalmente distintas - o Norte, desenvolvimento, e o Sul, menos desenvolvido - exploramos também as relações entre a distribuição funcional da renda e os fluxos comerciais e de capitais, buscando compreender possíveis mecanismos de superação de trajétorias desiguais de desenvolvimento entre países ricos e pobres. O primeiro ensaio desta tese incorpora a análise de Thirlwall em um modelo Norte-Sul que leva em consideração alguns aspectos frequentemente ignorados do crescimento em economias abertas - a importância dos fluxos de capital a longo prazo, as mudanças nos termos de troca e a interdependência entre comércio e pagamentos entre as regiões. Considerando cinco canais intrinsecamente conectados através dos quais as entradas de IDE podem afetar a estrutura produtiva da região Sul, descobrimos que os efeitos desses fluxos de capital podem reduzir a distância entre as regiões, aliviando a restrição externa e, a depender da magnitude de alguns efeitos, podem, no limite, indicar uma reversão do padrão de desenvolvimento desigual. No segundo ensaio, apresentamos um exercício empírico que fornece evidências robustas de que variações da parcela dos salarios na renda têm um impacto negativo no volume de importações de países em desenvolvimento. Ao indicar a importância da distribuição funcional da renda para a determinação das importações, destacamos não apenas a omissão de uma variável relevante em grande parte da literatura empírica que estima esse fluxo comercial, mas também a omissão de um canal relevante nas discussões sobre desvalorizações da taxa de câmbio real e seus impactos, restrição externa e crescimento econômico. Também examinamos duas questões empíricas relacionadas ao primeiro ensaio desta dissertação. Por fim, o terceiro ensaio apresenta um estudo de caso para a economia brasileira e os principais resultados apontam para uma relação positiva entre os fluxos de IDE e a atividade econômica brasileira no curto prazo, bem como uma relação positiva entre os tais fluxos de capital, produtividade agregada e o crescimento econômico no longo prazo. Apesar desses efeitos positivos, uma advertência importante aparece em nossa análise: quando levamos em conta os efeitos desses fluxos de capital na distribuição de renda, encontramos evidências de uma certa troca entre promover o crescimento econômico relacionado aos fluxos de IDE e aumentar a desigualdade de renda. Além disso, sugerimos que a conexão entre o IDE e a balança comercial indica uma piora da restrição externa a longo prazo.

*Resumo fornecido pelo autor

Departamento:

Voltar para a página de eventos