Doutorado - As palavras importam? O uso do tom linguístico nos discursos das apresentações de resultados

Tipo de evento: 
Defesa
Data e hora: 
24/04/2017 - 09:00 até 14:00

André Carlos de Souza
Doutorado: As palavras importam? O uso do tom linguístico nos discursos das apresentações de resultados
Orientador: Prof. Dr. Carlos Alberto Pereira
Comissão: Profs. Drs. Fernando Dal-Ri Murcia, César Augusto Tiburcio Silva, Lucas Ayres Barreira de Campos Barros e Maísa de Souza Ribeiro
Local:  na sala 217, FEA-5

Resumo

Este estudo tem por objetivo analisar de que forma o tom linguístico empregado no discurso dos gestores durante as conferências de apresentação de resultados está relacionado ao desempenho das empresas. Por tom linguístico, a análise leva em consideração tanto a divulgação de informações positivas sobre o desempenho das empresas (tom otimista) quanto a divulgação de informações negativas sobre o desempenho das empresas (tom pessimista) e uma métrica incluindo igualmente o tom otimista e pessimista (tom consolidado). Foram analisadas conferências de resultados ocorridas entre os anos de 2010 e 2014 por companhias abertas no Brasil com ações negociadas na BM&FBovespa. A base de dados é composta por 837 conferências de resultado relativas a 47 empresas e um total de 17.110 atribuições sobre o resultado das empresas, sendo 4.225 classificadas como neutras (não explicitando uma melhora ou uma piora para os resultados da empresa naquele momento), 9.947 atribuições otimistas e 2.938 atribuições pessimistas. A análise descritiva dessas atribuições sobre o resultado das empresas sugere que as mesmas, durante essas apresentações de resultados, são quantitativamente mais otimistas do que pessimistas. Tanto quando observamos especificamente cada uma das empresas, quando a análise mira as unidades de tempo envolvidas (anos e trimestres). Na aplicação de técnicas estatísticas, o EBITDA do período presente mostrou-se significante em relação ao tom otimista e ao tom consolidado, sugerindo que empresas com melhor desempenho, têm suas conferências do mesmo período mais otimistas Fora a relação com o mesmo período da conferência, o EBITDA apresentou significância apenas um período após a apresentação, na estimação do tom consolidado e dois períodos adiante na estimação do tom pessimista. A interpretação desse resultado sugere que empresas com melhores performances no período seguinte ao das conferências apresentam um tom consolidado maior, ou seja, mais otimista. No segundo caso, a interpretação sugere o inverso: empresas com melhor desempenho dois trimestres após a conferência apresentam menos atribuições pessimistas durante essas apresentações. Os resultados encontrados na tese estão em linha com aqueles encontrados por Davis et al. (2014), em que o tom aparece relacionado com o desempenho presente e algum desempenho futuro. De todo modo, não é possível afirmar que o tom prediz resultados. Sobre esse aspecto, verificou-se alguma significância, mas a natureza dela ainda é desconhecida para se falar em causalidade.

Departamento:

Voltar para a página de eventos