O pai e o profissional no mundo contemporâneo

Autor: Dado Nogueira

Com uma sociedade Cristiane Nogueira e bancaque engloba cada vez mais as mulheres no mercado de trabalho, com mais homens participando ativamente das tarefas de casa e a crescente possibilidade de se exercer o home office, a relação entre vida familiar e vida profissional dos pais vem passando por alterações. É o que mostra a dissertação de mestrado da pesquisadora Cristiane Nogueira, defendida no dia última quarta-feira, dia 12 de abril.

A pesquisa foi feita com base nas respostas de 113 homens, pais e profissionais casados, maioria da cidade de São Paulo, a um questionário online. O público da pesquisa tem uma média de 41 anos, renda familiar mensal aproximada de 15 mil reais, 16 anos de carreira, com 1 a 2 filhos. 80% das cônjuges dos entrevistados trabalham fora e 87% possuem ajuda externa no cuidado dos filhos.

Segundo a pesquisadora, é possível fazer um recorte nas mudanças nas relações de gênero que vêm ocorrendo na sociedade. Conforme mais mães adentram o mercado de trabalho, maior é o envolvimento do pai nos cuidados com os filhos. Um exemplo disso, trazido pela pesquisa, é o dado percentual de pais que já consideraram ficar em casa fixamente para cuidar do(s) filho(s): 69,9%. Isso, segundo Cristiane, é um reflexo da mudança que a sociedade e o mercado de trabalho vêm sofrendo atualmente. O pai não é mais o único provedor e, por isso, passa a desempenhar outros papéis nas relações familiares.

Foram registrados mais pontos positivos do que negativos nos resultados da pesquisa. Profissionais que tiveram filhos afirmam ter tido ganhos, como maior estabilidade emocional e psicológica, foco, determinação e ambição, uma mudança na visão de sucesso, habilidade de se relacionar socialmente e maior flexibilidade ou tolerância em situações de conflito. Como pontos negativos, foram apontados o problema do tempo, que fica mais curto com a responsabilidade de cuidar do filho somando-se às horas do trabalho, e do aumento da tensão, que vem com o cansaço, preocupação, já que, após a paternidade, há uma outra vida dependente do pai.

Alguns fatores influenciam para  maior ou menor integração entre a vida profissional e familiar. Quanto mais capital é ganho, por exemplo, maior a integração entre a vida profissional e familiar. O mesmo ocorre com a hierarquia e satisfação profissional, ou seja, quanto mais alto o cargo ocupado e mais satisfeito com a carreira, maior a participação do pai na vida familiar e, consequentemente, na dos filhos.

A defesa contou com a presença da Profa. Dra. Tania Casado, que orientou o trabalho, e das Professoras Dras. Liliana Vasconcellos Guedes e Angeli Kishore, como comissão avaliadora.

Data do Conteúdo: 
quarta-feira, 19 Abril, 2017

Departamento:

Sugira uma notícia