Fundadores de startups compartilham suas experiências

Theo Sales

 

Ao longo dos últimos cinco anos, a FEAUSP comprovou sua importante contribuição para o processo de inovação brasileiro. Berço de 3 empresas unicórnios, a faculdade promoveu um workshop online com dois fundadores de startups de sucesso para falar sobre a experiência com o empreendedorismo, a relevância do aprendizado universitário e a trajetória até a consolidação das empresas.

 

Para iniciar a conversa, o professor José Afonso Mazzon, vice-diretor da FEA e também organizador do evento, fez uma fala de abertura contextualizando a palestra e apresentando os convidados João Thayro e Vinícius Dias. Além disso, o docente comemorou o sucesso dos ex-alunos da faculdade: “a FEAUSP tem sido, felizmente, um celeiro de startups e de unicórnios”.

 

João Thayro, formado em Economia pela FEA e co-fundador da Gympass, iniciou sua fala comentando sobre a experiência universitária. Ele salientou a importância de sua participação na FEA júnior por três anos, que teve um grande impacto na sua formação ao permitir um contato entre o conhecimento teórico e prático ainda na faculdade. 

 

Sobre o processo de criação da Gympass, Thayro conta que tinha vontade de empreender e de criar uma empresa, e viu o mercado de atividade física como uma oportunidade para um marketplace de compra de passes diários para academia. O Brasil é o segundo maior mercado de atividade física do mundo, afirma. Ainda sobre a jornada enfrentada pela startup, o empreendedor conta que a empresa quase faliu duas vezes e enfrentou mudanças no modelo de negócios várias vezes, mas conseguiu se firmar após atender a uma demanda do mercado.

 

Segundo Thayro, grande parte dos investimentos iniciais da empresa vieram de pessoas ligadas à FEA, como ex-alunos. Com a expansão internacional, a Gympass se tornou uma startup unicórnio em 2019 e uma empresa líder global em serviços de qualidade de vida.

 

Em seguida, Vinícius Dias, formado no curso de Administração, fundador e CEO da CWS Digital, comentou sobre a trajetória de sua startup, que está “regada de DNA da FEA”. Conforme relata, o próprio conceito da empresa surgiu de estudos realizados na faculdade. Ele afirma que os conhecimentos obtidos na formação acadêmica foram essenciais, sobretudo para fazer análise e gestão do negócio, que funciona como uma plataforma de comércio eletrônico para empresas.

 

Além do vice-diretor Mazzon, o professor Lino Nogueira, que também é um dos organizadores do evento, atuou também como mediador da conversa. Comenta sobre o cenário das startups no país, o docente citou o dado de que, de cada 100 startups brasileiras, 94 não ultrapassam dois anos, 4 sobrevivem, e apenas duas têm sucesso. Essa informação reforça a importância em se analisar e entender a trajetória e os motivos para o sucesso dessas startups. Ele ainda afirma que a estada na FEA é uma oportunidade importante para os alunos que desejam empreender descobrirem conceitos que poderão aplicar aos seus desafios futuros

 

Após as falas iniciais, os convidados responderam às perguntas. Indagado sobre a importância dos conceitos aprendidos na faculdade, João Thayro respondeu o seguinte: “a FEA me ensinou a aprender”. Ele relata que inicialmente subestimou muito a teoria, pois desejava o aprendizado prático, mas hoje percebe que aqueles conceitos das aulas são muito úteis para a estruturação da empresa. “A experiência me trouxe isso. Na FEA, eu tinha muitos conceitos teóricos. O que fez a ponte foram as entidades, como a FEA júnior, e as conversas mais em detalhes com os professores”.

 

Já para Vinícius Dias, os conceitos financeiros, como fluxo de caixa, contabilidade e balanço foram os mais marcantes. Ele conta sobre a presença prática desses conceitos no cotidiano de uma empresa. “Você consegue tomar decisões mais rápidas e mais assertivas quando se tem o conceito maduro na cabeça. Isso nos ajuda a ser mais hábeis e mais rápidos. No mundo dos negócios isso é fundamental”, afirma. 

 

Dias ainda ressalta a aplicabilidade de conceitos econômicos e estatísticos, mas também de psicologia, filosofia e de marketing à gestão da empresa. “O fato de você ter essas ferramentas na mente faz com que a gente consiga ser mais eficiente na aplicação, mais consciente no que a gente está fazendo”. O professor Mazzon complementa: “se você dominar muito bem a parte dos conceitos e da teoria, você tem condições de inovar, de pensar e encontrar caminhos”. 

 

Ambos os convidados reiteram a relevância da faculdade como laboratório e fonte de aprendizado, mas também de experiências significativas com a possibilidade de gerar um impacto dentro da própria universidade. 

 

Fechando as perguntas, os palestrantes responderam sobre as soft skills que acreditam ser mais úteis para um empreendedor. Para Thayro, comunicação, liderança e a capacidade de escutar são habilidades essenciais para um profissional. Dias inclui também a capacidade analítica como uma ferramenta fundamental. Os dois empreendedores afirmaram também que a proatividade é uma característica que não pode faltar.

 

Para finalizar, o professor Fábio Frezatti, diretor da FEA, fez uma fala reiterando a importância dos estudos e de se ouvir casos de sucesso como dos dois ex-alunos.

 

Inicialmente a palestra contava com a participação de Gustavo Ayala, CEO da Bolt Energy, mas que não pôde comparecer por motivos de força maior. 


O workshop ocorreu de forma online e a gravação pode ser acessada no canal do Youtube da STI FEA.

 

 

 

Data do Conteúdo: 
Segunda-feira, 4 Abril, 2022

Departamento:

Sugira uma notícia