Engema destaca os novos desafios da sustentabilidade

Por Ingrid Luisa
Fotos: Mayra Ogura e Ingrid Luisa

engema

O Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente (Engema) chegou à sua 19ª edição. O evento ocorreu nos dias 4 e 5 de dezembro e bateu um recorde, foram apresentados 509 artigos, um aumento de cerca de 10% em relação ao ano passado. Dessa forma, as 9 áreas temáticas de 2016 aumentaram para 15, abrangendo um maior número de possibilidades, mudança provinda da demanda dos trabalhos enviados.

O número de avaliadores também dobrou em relação à edição anterior, 336 especialistas foram envolvidos, o que possibilitou a criação de líderes de temas e tornou a avaliação mais capacitada com melhoria na qualidade do processo. O Encontro recebeu trabalhos de quase todos os estados do país, e, em termos de participação, a Universidade Federal de Rondônia foi a que mais submeteu artigos (35 ao todo), o que demonstra a legitimidade do evento em todo o território nacional. Além disso, dia 6 de dezembro, pós-evento, foi oferecido pela primeira vez palestras e workshop, como um bônus do Engema.

Na sessão de abertura, o professor Isak Kruglianskas, organizador do Encontro, afirmou que o tema da sustentabilidade está cada vez mais forte. Em sua fala, o professor citou as últimas realizações mais importantes na área. “No final do ano retrasado tivemos o Acordo de Paris, com grandes perspectivas e esperanças para o setor ambiental, já que a sociedade demorou 4 décadas para assumir que estamos ultrapassando os limites do planeta de maneira insustentável. O Brasil se comprometeu a reduzir gases de efeito estufa em 37% até 2015 e apresentou o indicativo de redução de 43% até 2020. Entre outras medidas, o Acordo tem o objetivo de manter o aumento da temperatura média global abaixo de 2 graus com relação aos níveis pré-industriais e de garantir esforço visando esse objetivo. Infelizmente com  Donald Trump eleito, nuvens pesadas surgiram no horizonte para desencanto de nossa comunidade de ambientalistas.”

Isak pontuou o desafio de pensar em sustentabilidade em meio à crise “político, econômico, social e moral” que o país enfrenta, destacando a conciliação das atividades de desenvolvimento econômico no campo, com a expansão do agronegócio e das atividades mineradoras, com a preservação do meio ambiente. Ele também frisou a atuação do Sistema Nacional de Meio Ambiente (Sisnama), que precisa cumprir sua missão de descentralização de gestão ambiental e coordenação de distribuição de responsabilidades entre municípios, estados e União. Sua fala foi encerrada de maneira otimista: “após mais de dois anos de recessão, a expectativa de um crescimento do PIB, embora raquítico, vem sendo anunciado para esse final de 2017. Temos a convicção de que o vigésimo Engema, que ocorrerá em 2018, encontrará um ambiente mais favorável, uma economia mais robusta com a eleição de políticos mais confiáveis e uma melhor perspectiva de distribuição de renda no nosso país.”

Na palestra de abertura o convidado Charbel José Chiappetta Jabbour, ex-feano e doutorando na Montpellier Business School, falou sob o tema “Planejando uma carreira como pesquisador em Administração no século XXI: oportunidades, desafios e algumas experiências”. Ele mostrou, através de um modelo genérico de etapas da carreira de pesquisador universitário, as formas para conseguir relevância acadêmica. A excelência em pesquisa precisa gerar impacto, um termo que ainda pede por definição em muitas áreas, mas na área de administração, Chiappetta o determinou como “ato de influenciar as pessoas”. Segundo ele, um artigo publicado hoje não gera impacto amanhã, a publicação não é o fim da jornada, é o começo. “Para isso, deve-se ter todo um planejamento de pesquisa montado, levando em conta o ‘estado da arte’, ou seja, tudo que já foi publicado antes sobre àquele tema até o ‘DNA’ do pesquisador, ou como ele deseja ser conhecido no meio acadêmico”, finalizou o pesquisador.

O Engema, evento anual e já tradicional, tem como objetivo reunir pesquisadores, profissionais, empresários e gestores públicos e privados envolvidos em novas abordagens em gestão ambiental nas empresas.

Data do Conteúdo: 
sexta-feira, 15 Dezembro, 2017

Departamento:

Sugira uma notícia