Mestrado - Smart cities brasileiras: problemas urbanos, soluções tecnológicas e modelos de negócios

Tipo de evento: 
Defesa
Data e hora: 
17/08/2022 - 14:00 até 17:00

 

Fernando Chemin Seabra da Silva

Mestrado - Smart cities brasileiras: problemas urbanos, soluções tecnológicas e modelos de negócios

Orientador: Prof. Dr. Alceu Salles Camargo Júnior

Comissão: Profs. Drs. Moacir de Miranda Oliveira Júnior, José Geraldo de Araujo Guimarães e Luciel Henrique de Oliveira

Local: Sala 217, FEA-5

Resumo*

Os rápidos avanços tecnológicos nas últimas décadas têm sido responsáveis por elevar as expectativas dos cidadãos em relação à qualidade de vida e aos serviços prestados pelo Município. Novas tecnologias podem viabilizar as soluções para tornar a gestão das cidades cada vez mais efetiva, ágil, inovadora e transparente. De forma complementar, os governantes atuais, do mundo todo, têm o desafio de gerenciar os recursos disponíveis de maneira eficaz, a fim de solucionar os problemas de suas respectivas cidades nos mais diversos setores, como: mobilidade urbana, energia, saúde, segurança, meio ambiente e outros. O conceito de Smart Cities (Cidades Inteligentes), embora ainda não tenha sido padronizado, pode ser sumariamente explicado como referente àquelas cidades que fazem uso de tecnologias de informação, comunicação e conectividade para acelerar suas transformações e superar seus obstáculos, aplicando recursos de forma inteligente, e se tornando, então, mais sustentáveis e atraentes para os cidadãos. Dessa forma, a presente dissertação propôs-se, primeiramente, a investigar na literatura internacional as diferentes soluções que ajudaram as cidades ao redor do mundo a enfrentarem seus problemas, promovendo-se e classificando-se como Smart Cities. Os problemas urbanos e as soluções foram categorizados por dimensões, identificando fatores e atributos para reflexões quanto à potencial replicação e ao desenvolvimento urbano sustentável. Esta categorização permitiu estruturar um questionário de pesquisa, enviado a 522 gestores públicos de 200 cidades brasileiras, com o objetivo de obter percepções e melhor compreender os problemas enfrentados e o estágio das soluções de Smart Cities existentes ou a serem implementadas, bem como os modelos de negócios comumente aplicados. Com o resultado das 119 respostas obtidas, foram realizadas análises estatísticas, utilizando um software específico de mercado, cujo resultado permitiu uma interessante comparação entre os problemas e as soluções de cada uma das dimensões de Smart Cities caracterizadas, além de um panorama geral com todas as variáveis estudadas. Analisados de forma conjunta, verificou-se que dentre os problemas classificados como mais graves, dois são da dimensão Mobilidade e um da dimensão Saúde. Quanto às soluções, dentre as respostas analisadas, destaca-se que a mais avançada foi a dimensão Segurança. Adicionalmente, foi feita uma separação das respostas em dois clusters de cidades brasileiras, conforme os índices socioeconômicos e demográfico, permitindo, então, uma melhor comparação e avaliação das mesmas e gerando discussões e observações no intuito de melhor compreender o cenário apresentado. Os resultados estatísticos apresentaram certa igualdade entre as médias observadas dos Clusters 1 e 2 para as variáveis de problemas, sendo que o Cluster 2 apresentou problemas mais graves no que tange à Integração de Transportes, enquanto o Cluster 1, à Atendimento Emergencial. Quanto às soluções, os resultados demonstraram que todas as variáveis do Cluster 2 estão em estágio mais desenvolvido que no Cluster 1. Ressalta-se que no Cluster 2 foram observadas as melhores condições demográficas, econômicas e socioambientais.

*Resumo fornecido pelo autor

Departamento:

Voltar para a página de eventos